Sempre Novas Oportunidades

Eu já tinha visto, no metropolitano, cartazes com a Vanessa Fernandes a dizer que “estudar era um novo desafio” e as “Novas Oportunidades” é que eram. Agora li no 24Horas, duas páginas de reportagem com a nossa campeã, e fiquei a perceber tudo. Título: “Vanessa tira o 12.º ano sem frequentar aulas”. Lead: “A atleta vai fazer três anos de ensino num único ano lectivo. Para isso só precisa de ter uma reunião semanal com formadores a quem entrega trabalhos”. Presumo que, depois de ter feito três anos de liceu num só, Vanessa possa manter a pedalada e, graças a Bolonha e aos cursos de três anos, possa licenciar-se já para o ano que vem. Desaconselhava-lhe a medicina – mas engenharia, porque não?

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Sempre Novas Oportunidades

  1. Camelo no buraco da agulha? diz:

    Pelos vistos… a Engenharia é matéria ‘non grata’? Qual é a ideia?
    O que é que defende e o que é que ataca?
    Há aqui algum estatuto de classe (ou de elite) que convirá aplicar em futuras reformas?
    Já agora…

  2. Carlos Vidal diz:

    Engenharia, isso mesmo, acho que é, de facto, o mais conceptualizante dos cursos. E nenhuma escola ou faculdade utiliza (jamais utilizou) o livro de presenças. O “conceito” aqui é teletransportado e pode-se tocar de ouvido.

  3. Pingback: As maravilhas das «Novas Oportunidades» |

  4. Camelo no buraco da agulha? diz:

    Não parece (nada) claro o ‘E nenhuma escola ou faculdade utiliza (jamais utilizou) o livro de presenças’.

    Além do mais, parece totalmente pejorativo (descabido, desonesto) o ‘possa licenciar-se já para o ano que vem’.

  5. carlos graça diz:

    A isto e outras coisa da área, se pode dar o nome de Universidade Aberta das Facilidades, cuja reitoria está a cargo do PS…

  6. artur borges diz:

    Sem comentários

  7. Arnaldo Fonseca diz:

    Se o nosso primeiro pode tirar o curso com a maioria das cadeiras quase todas por equivalência e as outras por despacho de fax no fim de semana, porque é que ela não pode despachar 3 anos num só com uns trabalhitos. Toca a pensar mas é já no doutoramento numa daquelas Universidades de Verão…

  8. Pingback: As maravilhas das «Novas Oportunidades» « Aventar

Os comentários estão fechados.