1º de Maio


Foto atribuída a Eduardo Gageiro (1º de Maio de 1974) retirada daqui.

O Paulo já referiu que estará por aqui.
Eu subirei a Almirante Reis com a CGTP, com trabalhadores de todos os sectores, precários e desempregados, numa manifestação que exija uma radical mudança de rumo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a 1º de Maio

  1. Luís diz:

    E seguramente com muitos funcionários públicos, mas penso que esses não exigirão uma mudança assim tão radical.

  2. maria monteiro diz:

    Também temo que estes (MMTC) não exigirão uma mudança tão radical…. mas sempre se pode sonhar (sim, é possivel! Uma vida melhor)

    Mensagem para o 1.º de Maio de 2009
    «O trabalho vale mais do que o capital»- Igualdade de direitos para todos os trabalhadores!

    A pior crise económica mundial, desde 1929, apresenta numerosas consequências para os trabalhadores e para as suas famílias em todos os países do mundo. Todos os dias vemos e ouvimos falar de encerramentos de fábricas, de perdas de empregos, de despedimentos, de deslocalizações e do aumento do desemprego.
    Em contraste, vemos biliões de dólares americanos a serem transferidos para os bancos para os salvar da bancarrota e que servem para pagar grandes somas aos responsáveis, e enquanto isso, o FMI pede a redução das despesas públicas em compensação. É claro que há algo que não está bem, sobretudo no que respeita aos valores sobre os quais é construído o sistema político e económico actual… É um sistema em que a dignidade humana não é respeitada, em que os trabalhadores migrantes são os primeiros a encontrarem emprego, mas também os primeiros a serem despedidos, em que o direito de organizar-se colectivamente é, frequentemente, o pretexta para despedir um militante ou deslocalizar uma empresa. É um sistema em que o lucro está no centro e não a pessoa humana.
    Como Movimento de Trabalhadores Cristãos, recordamos um princípio que a Igreja sempre nos ensinou: o princípio da prioridade do trabalho sobre o capital. E, no contexto actual, isto leva-nos a estar ao lado dos trabalhadores na sua luta pela justiça, para ganhar o seu “pão diário”!
    Nós (Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos – MMTC) acreditamos na capacidade dos trabalhadores em resistir colectivamente à injustiça. Todos os dias, vemos trabalhadores a reagir às injustiças através de greves e de manifestações em todos os continentes: eles exigem justiça e igualdade na satisfação das necessidades humanas. E estas acções de solidariedade são sinais de esperança para os trabalhadores de todos os países.
    A solidariedade entre os trabalhadores e as trabalhadoras do Norte e do Sul, é indispensável para criar e promover um trabalho justo para todos, em que todos os trabalhadores tenham os mesmos direitos.
    Alimentados pela nossa fé em Jesus Cristo, queremos tomar parte na construção de uma nova sociedade em que todos os trabalhadores, membros de só uma raça, “a raça humana”, trabalhariam juntos na construção de um outro mundo alicerçado sobre uma solidariedade activa, para promover a paz e o respeito pela dignidade humana e pelos Direitos do Homem.
    O MMTC é uma organização internacional de solidariedade. No dia 1 de Maio juntamo-nos às trabalhadoras e aos trabalhadores que lutam por um mundo mais justo, um mundo melhor, que tenham fé ou não, para demonstrar a nossa vontade de libertar todos os trabalhadores das injustiças, devidas a uma economia de mercado e a um liberalismo descontrolado.
    Todos solidários, podemos construir um novo mundo melhor e fá-lo-emos.
    Conselho Executivo do MMTC

Os comentários estão fechados.