Breves notas sobre o Apelo à Convergência de Esquerda

Abrindo uma excepção ao que aqui escrevi, em virtude do destaque e mediatismo acrítico que esta petição tem merecido, julgo que será de salientar uma ou outra coisa que tem ficado à margem desta pretensa discussão sobre uma eventual  “Convergência de Esquerda”:

1. O abaixo assinado é promovido pela Associação Política Renovação Comunista (RC), única organização que apoia o vereador Sá Fernandes.

2. Apesar de grande parte dos seus destacados primeiros subscritores serem figuras de proa do PS, é de destacar e enaltecer a manifesta vontade de tantos outros em voltar a ter forças de esquerda (designadamente a CDU), no executivo da Câmara Municipal de Lisboa.

3. É de estranhar o aparente (e recente) saudosismo que PS e RC têm da experiência das coligações, em especial na altura de Jorge Sampaio, num momento em que ambas as forças políticas desempenham ou subscrevem as políticas do actual executivo.

4. Sendo sensível ao argumento do perigo do regresso da coligação de direita ao governo da cidade, é de salientar que ao contrário do que sucedeu nos tempos de Krus Abecassis (e que motivou a primeira coligação encabeçada por Sampaio), durante a gestão de Santana, o PS tomou quase sempre papel activo e solidário para com o seu executivo – veja-se por exemplo a famosa permuta de terrenos do Parque Mayer, a divisão de lugares nas administrações das SRU’s…

5. No governo da cidade de Lisboa é preciso uma alternativa que construa políticas de esquerda, sem chantagens eleitoralistas e fundamentadas num projecto político sólido.

Como o André Levy já aqui escreveu no 5dias, não se deve desperdiçar um único voto de esquerda no PS. Só se justifica o voto útil no PS, se vier da direita.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

8 Responses to Breves notas sobre o Apelo à Convergência de Esquerda

  1. Pingback: cinco dias » Lisboa

Os comentários estão fechados.