Deve agir-se desde já: felicito Manuela Moura Guedes

Confesso, já antes tinha confessado, que não sou capaz de ouvir José Sócrates durante mais tempo que 5 a 10 minutos (este última hipótese com muitíssimo esforço). Leio depois relatos, vejo resumos (breves, brevíssimos! se possível). Por isso, agora, apenas me ocorre isto:

Deve começar a agir-se desde já e sem a menor hesitação!
Este país, onde infelizmente vivo, não pertence ao engenheiro José Sócrates, Mário Soares (solidário com as vítimas da «campanha negra» e crítico do bom jornalismo, bom porque muito arriscado e em condições difíceis – e com 9 pesooas já processadas !!-, que se tem feito sobre o Freeport), Daniel Proença de Carvalho (que não faço a menor ideia quem seja), Freitas do Amaral ou José Miguel Júdice (apoiantes de J. Sócrates e do PS desde a primeira hora – o lugar político supostamente seguro em Portugal); solidário com Manuela Moura Guedes estou, e com os telejornais da TVI globalmente, os únicos onde se pratica jornalismo, em geral, e jornalismo de investigação, em particular:

«Manuela Moura Guedes vai avançar com um processo judicial contra José Sócrates, revelou a jornalista ao PÚBLICO. José Sócrates fez, na entrevista à RTP, várias referências negativas Jornal Nacional de sexta-feira do canal, apresentado pela subdirectora da TVI, que a jornalista considerou “injuriosas”.

“Colocou em causa o trabalho sério, rigoroso e fundamentado de toda uma equipa de jornalistas de um jornal da TVI que é o mais visto de todas as televisões portuguesas”, disse a jornalista.»

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

30 respostas a Deve agir-se desde já: felicito Manuela Moura Guedes

  1. Jeronimo diz:

    E assim se vê como a defesa da liberdade de expressão só funciona para alguns … É preciso dizer mais sobre a desonestidade do autor do post ?

  2. Pedro diz:

    Ó Jeronimo, se o que a MMG faz não é a defesa da liberdade de expressão, então o que é? Meu deus, estes lambe-botas estão cada vez mais vesgos.

  3. Rui Costa diz:

    “solidário com Manuela Moura Guedes estou, e com os telejornais da TVI globalmente, os únicos onde se pratica jornalismo, em geral, e jornalismo de investigação”

    Mal de nós se a TVI fosse a única a praticar jornalismo! Ah, espera, será que quereria dizer sensacionalismo?

    Concordo sem sombra de dúvidas que o PM desceu a um nível pouco aceitável. Mas porquê dar os parabéns pela “coragem” de Manuela Moura Guedes se essa mesma coragem se trata de um nível muito muito baixo de jornalismo? Não compreendo, de facto.

    Nesse aspecto, tenho de concordar com o PM: a liberdade de expressão acaba na difamação infundada. Como jornalista, Manuela tem de entender que tem a responsabilidade de se mostrar imparcial. Ou será que ela é comentadora política? E daí que ache muito válida a afirmação de José Sócrates: este tipo de jornalismo só prejudica a liberdade de expressão.

    Já há algum tempo escrevi sobre esta “jornalista”:

    http://costarochosa.blogspot.com…ura- guedes.html

  4. Rui Costa diz:

    “solidário com Manuela Moura Guedes estou, e com os telejornais da TVI globalmente, os únicos onde se pratica jornalismo”

    Não quererá dizer sensacionalismo?

    Concordo sem sombra de dúvidas que o PM desceu a um nível pouco aceitável. Mas porquê dar os parabéns pela “coragem” de Manuela Moura Guedes se essa mesma coragem não se trata de um nível muito muito baixo de jornalismo? Não compreendo, de facto.

    Nesse aspecto, tenho de concordar com o PM: a liberdade de expressão acaba na difamação infundada. Como jornalista, Manuela tem de entender que tem a responsabilidade de se mostrar imparcial. Ou será que ela é comentadora política? E daí que ache muito válida a afirmação de José Sócrates: este tipo de jornalismo só prejudica a liberdade de expressão.

    Já há algum tempo escrevi sobre esta “jornalista”:

    http://costarochosa.blogspot.com…ura- guedes.html

  5. Jeronimo diz:

    Se Sócrates processa porque se sente insultado, está a atacar a liberdade de expressão.
    Quando a TVI processa porque se sente atacada, não está mais do que a defender a liberdade de expressão.
    Esta visão doentia diz tudo dos Pedros Palhaços que há por aí. E que vêem lambe-botas em todos os que contestam a sua perspectiva deturpada.

  6. Saloio diz:

    Senhor Carlos Vidal: nunca pensei na minha vida futura estar com MMG no que quer que fosse – nem numa fila de supermercado.

    Mas…quero confessar-lhe que, neste particular, estou.

    Digo eu…

  7. Luís Antunes diz:

    Numa democracia , as pessoas estão inocentes até prova do contrário . Com essa história do Freeport , estamos a assistir a uma tentativa de linchamento político em ano de eleições ( vejam lá a coincidência ) .

  8. Não se chama a isto Lei de Talião?

  9. Vitoriano diz:

    É uma pena não encontrar nenhum post do grande Nuno Ramos de Almeida (jornalista da TVI), como se intitula…

    Era bom que ele conseguisse ler este artigo publicado hoje no DN on-line, e não deixasse uma coment a quase insultar a dona do log
    “Visto de Economia” de Helena Garrido…

    Deve ser mais um lambe-botas do Zé Moniz e da Boca Grande…

    Vamos ao artigo…

    Uma tradução à letra de um documento apreendido a Charles Smtih levou a investigação a pensar que se tratava de José Sócrates, mas afinal tudo não passava de uma expressão idiomática. O inglês foi filmado a dizer que pagou luvas ao actual primeiro-ministro, mas uma investigação de advogados concluiu que tudo não passou de uma história inventada.
    O escritório de advogados inglês Decherts ‘ilibou’ Charles Smith de qualquer ligação a actos de corrupção praticados em Portugal para o licenciamento do Freeport. Os advogados visionaram o vídeo (divulgado na passada sexta-feira pela TVI) feito por Alan Perkins, ex-administrador do Freeport, fizeram cruzamentos de transferências de dinheiro e ouviram testemunhas. A conclusão foi de que, quando muito, Charles Smith estaria a tentar ‘sacar’ mais dinheiro do Freeport pela consultadoria prestada, inventando a história dos subornos.
    Os advogados da Decherts, que foram chamados pela Freeport para investigar o conteúdo do vídeo onde Charles Smith aparece a falar de subornos, realçam ainda que Alan Perkins gravou o vídeo em Março de 2006, mas só o apresentou à administração em Janeiro de 2007, numa altura em que estava a negociar a sua saída da empresa. O relatório final da investigação foi depois entregue à administração da Carlyle que, em Abril de 2007, tinha em curso uma OPA à Freeport.

    A Decherts analisou todas as transferências de dinheiro de Inglaterra para Portugal. Em Alcochete, uma técnica de contabilidade fez o mesmo. Não foi encontrado nada de anormal que pudesse sustentar as palavras de Charles Smith quanto a pagamentos de subornos a José Sócrates.
    Em Julho de 2007, quando foi interrogado pela polícia inglesa, Charles Smith foi confrontado com alguns e-mails que agora surgem no processo português. As audições em Londres foram presididas pelos polícias Roger Cook e Paul Farley que chegaram a confrontar o empresário com a notícia do jornal O Independente de Fevereiro de 2005 que dava conta do início do processo Freeport.
    Segundo documentos a que o DN teve acesso, terá sido em Inglaterra que Charles Smith contou, pela primeira vez, a história de que o escritório de advogados Antunes Marques Oliveira Ramos Gandarez & Associados tinha preparado uma proposta, a 4 de Dezembro de 2001, no sentido de pedir à empresa Freeport cerca de quatro milhões de libras para que o projecto em Portugal fosse aprovado. Smith terá indicado o nome de dois cidadãos ingleses, residentes em Portugal, com quem, em 2001, terá conversado sobre o assunto. Keith Payne e Roger Abraham já foram ouvidos pelos ingleses, mas até ao fecho desta edição, não foi possível apurar se foram inquiridos em Portugal.

    Aliás, terá sido após a conversa com Charles Smith que o inglês Keith Payne escreveu uma carta a Rick Dattani – na altura financeiro da Freeport em Inglaterra, e um dos nomes que consta da Carta Rogatória. Por sua vez, Dattani terá enviado, a 17 de Dezembro de 2001, a Jonathan Rawnsley, administrador da Freeport, uma nota, referindo-se a Keith Payne como o “tipo que me alertou para o suborno de dois milhões”. Esta é a única informação que vem nos documentos ingleses, mas nas recentes inquirições os advogados José Francisco Gandarez, Albertino Antunes e Alexandre Oliveira terão negado ter feito tal proposta.
    Entretanto, uma expressão, “No way Jose”, que consta de um documento apreendido na empresa Smith&Pedro intrigou os investigadores portugueses do caso Freeport que, durantes os três dias de interrogatório, questionaram Charles Smith sobre quem era o tal José. Seria Sócrates, por exemplo? A tradutora da Polícia Judiciária traduziu à letra um documento manuscrito do empresário que terminava daquela forma. Só no interrogatório é que perceberam de quem é que se tratava: uma expressão idiomática em inglês que quer dizer “nem pensar”.
    Apesar de a Procuradoria-Geral ter garantido, há meses, que José Sócrates não era suspeito no caso Freeport, nos interrogatórios, Manuel Pedro e Charles Smith foram confrontados várias vezes com suspeitas relacionadas com o “não suspeito”. Questionada pelo DN sobre esta situação, a PGR recusou prestar esclarecimentos, invocando o segredo de justiça.

  10. almajecta diz:

    Que furor beato deu por aqui começando pelos governantes passando pelos jornalistas e acabando em ti Carlos que começas as frases por confesso. Não conheçes o nosso grande maquiavel, torrequemada, savonarola? Em que mundo vives tu? Tudo a disparar em todos os sentidos, isto é uma festa, CHEGUEI caras e sem preconceito, NOSSA…

  11. rosarinho diz:

    Apesar de não apreciar o estilo da TVI, solidarizo-me – em absoluto – com todos os jornalistas. Força jornalistas! Portugal está “entregue aos bichos…”, a “justiça” finge que actua… se não fossem os jornalistas corajosos, como Mário Crespo (é para mim uma Referência), isto estaria bem pior.
    Caso o “sinhoriiii iiinnnjjjjjjjiiiiiiiiiiinheirooooooooo” se viesse a recordar de determinada conversa com o tio, acerca duma possível extorsão de 4 milhões (expliquem-me, como é possível “não registar na memória”???), e já tivesse posto os extractos de conta do seu “mealheiro” (Megalheiro?) à disposição da “justiça portuguesa” e da polícia Serious Fraud Office, a história seria bem diferente e quiçá eu não estaria – actualmente – a ver a TVI.
    Assim sendo, ABSOLUTAMENTE SOLIDÁRIA com todos os jornalistas!!!
    FORÇA, SENHORES JORNALISTAS!!!

  12. rosarinho diz:

    Alguém já reparou (???) que só os poderosos dizem : “CONFIO NA JUSTIÇA PORTUGUESA!” (Ontem o engenheiro disse-a. Não me senti nada tranquila…)
    É que só oiço esta frase saída da boca ou dos muito ricos ou dos que têm assento no poleiro no PODER.
    No meu dia-a-dia, nunca ouvi semelhante frase aos cidadãos comuns.

  13. Carlos Vidal diz:

    Ó Grande Alma, deverias ter dito; “alô pessoal, que furor beato deu por aqui??”, ou “atenção pessoal, qual é a vossa, seus beatos?”
    Força Alma, repõe a verdade.

  14. Luís Antunes diz:

    Cassete Vidal , convido – te a visitar os meus blogues : alcofribasnasier.blogs.sapo.pt ; elepeme.blogs.sapo.pt ; luisdezanove.blogs.sapo.pt. Se achas divertidos os blogues do Chico , então vais gostar dos meus .

  15. Luís Antunes diz:

    Viva a promoção de Jaime Neves!

  16. Luís Antunes diz:

    Gostei de ver Jacinta Ricardo perder o julgamento de peculato em 2004 . Em 1997, antes de perder as eleições no Montijo , ele estava prestes a receber um suborno de 8 000 contos.

  17. rosarinho diz:

    Repito aqui a minha GRANDE DÚVIDA.

    Dúvida: Uma conversa com um tio acerca de uma extorsão de 4 milhões é normal???
    Há assim tantas conversas sobre extorsões e portanto é irrelevante???
    É normal não mandar imediatamente investigar???
    Há alguma coisa normal nisto tudo???

    Ou serei ET???

  18. Luís Antunes diz:

    O PCP e o Bloco de Esquerda não podem entrar no SIS. A culpa é do KGB e da Albânia.

  19. rosarinho diz:

    Tudo isto ainda CHOCA mais:
    «a recusa do Estado em ‘amnistiar’ os 120 mil contribuintes que não entregam no ano passado a declaração de rendimentos, a maioria pensionistas e reformados.
    […]
    está a ser exigida uma multa de 150 euros aos contribuintes “não por falharem o pagamento do impostos, mas apenas porque falharam a entrega de um papel”.
    Na resposta, José Sócrates recordou que a administração apenas fez o que estava na lei.
    E, acrescentou, também o Governo “cumpre a lei”. » (Público)

    quando o senhor engenheiro:« se “esqueceu” de apresentar no Tribunal Constitucional os seus rendimentos. Nesses quatro anos, incluem-se aqueles em que foi Ministro do Ambiente.» (a outra varinha mágica)

    POIS É QUE na zona onde moro, apercebo-me de muitos idosos, que trabalharam uma vida inteira e estão a passar mal, muito mal mesmo, com reformas de miséria…
    Quem trata assim aqueles que se estão a despedir da vida?
    Ainda lhes vão roubar os últimos pratos de sopa?
    É DESUMANO, DESUMANO, DESUMANO!

  20. rosarinho diz:

    O que dizer quando nos apercebemos que os idosos, já com poucas energias para sobreviver, para fazer face aos seus últimos dias, são autenticamente espoliados, “não por falharem o pagamento do impostos, mas apenas porque falharam a entrega de um papel”.(Público- 22 de Abril)
    Quando sabemos que um certo cidadão:
    « se “esqueceu” de apresentar no Tribunal Constitucional os seus rendimentos. Nesses quatro anos, incluem-se aqueles em que foi Ministro do Ambiente.» (a outra varinha mágica)
    Este cidadão com poderes tão especiais, cumpriu os seus deveres, ou o cumprimento de deveres é só para os que considera seus inferiores?
    Houve multas?
    Se sim, quais os valores???
    É que eu não me apercebi. Se houve penalização, nada li.
    Só vejo que são IMPLACÁVEIS, com os que estão de despedida, a dizer Adeus à vida…
    Já não basta mal reunirem condições para sobreviver – ao suceder dos seus últimos dias – ainda há quem esteja pronto para lhes confiscar os seus últimos sustentos.
    Digo e repito: É DESUMANO, DESUMANO, DESUMANO!!!
    Aqui deixo o meu FUNDO LAMENTO:

    Balada da Neve de Augusto Gil (recriada, transmutada, atendendo à crueldade dos tempos que vivemos)

    Batem forte, fortemente,
    como quem m’ agride a mim…
    Será trovão? Será gente?
    Gente só DESUMANAMENTE…
    Que o trovão não assusta assim…

    E uma infinita tristeza,
    uma grande perturbação
    entra em nós, fica em nós presa.
    Cai – MÁGOA – na Natureza
    – e cai no nosso coração.

  21. Carlos Vidal diz:

    Duas notas: é claro que é completamente irrelevante a descoberta da sra. H. Garrido, que não sei a que propósito vem nem o que quer (para Vitoriano, 22 de Abril, comentário hora 19:07).
    Faz-me lembrar a mirabolante história, no auge do tema Casa Pia, da descoberta por Serra Lopes filha, de um sósia de Carlos Cruz. Portugal parece ser, de facto, um país de descobertas e descobridores.

    rosarinho, a mais agressiva e combatente das/dos comentadores: a luta dela também é a minha.

  22. rosarinho diz:

    Canto Manuel Alegre, “Trova do Vento Que Passa”
    (recriada, transmutada, atendendo à crueldade dos tempos que vivemos)

    Pergunto ao vento que passa
    notícias do meu país
    e o vento FALA a desgraça
    o vento MÁGOAS me diz.

  23. rosarinho diz:

    Prossigo a cantar Manuel Alegre: recriado, transmutado, atendendo às CRUELDADES e MÁGOAS que sinto)

    E o vento TANTAS me diz
    Só a CUMPLICIDADE persiste
    Vi minha Pátria AMARGURADA
    À beira de um rio triste

  24. rosarinho diz:

    Relativamente aos Jornalistas que tentam INTIMIDAR, mas NÃO SE VERGAM, NÃO SE VERGAM ao poder, aproprio-me de Gavin Bantock (poema “BARD”), mudando só o tempo verbal: “Heroes scream from my fingerprints”, com uma dedicatória especial a Mário Crespo, uma das minhas Grandes Referências, é para mim um Herói – que ganha dimensões Gigantescas neste meu teclado…
    Parabéns pela sua verticalidade, Mário Crespo!

  25. rosarinho diz:

    Tambem canto muitos Xutos e Pontapés: (ligeira readaptação- Já alguém me ofereceu o DVD)

    Anda tudo do avesso
    Nesta rua que atravesso
    Dão milhões a quem os tem
    Aos IDOSOS ROUBAM BEM.

    O meu grande Xuto e Pontapé para esta gente, que assim procede e nisto consente.

  26. rosarinho diz:

    Caro Carlos,
    Obrigada por se juntar à minha voz MAGOADA, REVOLTADA. Todos somos poucos para inverter esta marcha…, impedir tanto ATROPELO.
    DESUMANO, DESUMANO, DESUMANO.

  27. MS diz:

    Apoiar a MMG? Tristeza!
    É mais que evidente que o jornalismo praticado por ela é uma farsa!!!!

    Os jornalistas deviam ter vergonha dela…

  28. Daniel Silva diz:

    Minha boa gente, por favor não cometam o erro de usar expressões de outros, mito menos poemas, e nunca cometam a atrocidade de desfigurar um poema. Para desfigurada já Basta a srª MMG e ainda pior, a sua espécie de jornalismo. A luta contra a exploração de idosos, muito bem. A luta a favor da difamação e má criação… tenham vergonha.

  29. joao silva diz:

    É assim, aquilo que dizem ser a liberdade de expressao ta muito mal visto. Agora eu chego aqui e digo que sao todos uma cambada de filhos da puta, que sao todos uns cabroes , mentirosos, ignorantes, arrugantes, falsos e cabroes. Muito bem é liberdade de expresssao, tenho o direito de insultar quem quiser, de fazer o que essa mulher fez que foi insultar, e agora espero que nao me respondam, nem se defendam porque o que fiz fiz porque tenho liberdade para faze-lo. Nao quero de todo defender o Socrates, mas tb nao vou defender essa mulher que realmente nao sabe fazer jornalismo. Ja vimos este mesmo problema varias vezes em outras entrevistas, porque ela nao sabe de todo entrevistar, so sabe atacar e insultar e deitar abaixo as pessoas. O que ela faz é o que as pessoas do campo fazem a criticarem o padre da freguesia . Nao tenho nada contra a vossa opiniao, espero que me insultem, nem se sintam insultados com o que disse, mas tb tenho liberdade para faze-lo. Ta na consciencia de cada um levar a liberdade ate onde quer e sim existe um limite para a liberdade e tb existe liberdade para que todos se defendam de acusaçoes e insultos que nos fazem…

    Para quem publicou este tema, se dizes que inflizmente vives neste país é porque nunca imigraste, falo porque ja estive fora, porque os meus pais estao fora, mas acredita que melhor que o nosso pais nao ha e que os politicos de outros países sao igual ou piores que os nossos, e acredita que so nos podemos mudar isto tudo e nao é a insultar, criticar este ou aquele, mas sim ajudar, aportar ideias e lutar…..

    Um resto de um bom dia a todos ……. e viva a portugal

Os comentários estão fechados.