A realidade é que se engana

Segundo o Expresso, o primeiro-ministro, José Sócrates, resolveu processar nove jornalistas. A novidade é que embora não tenha processado, que se saiba, Charles Smith e João Cabral que o chamam de “corrupto” , numa reunião com um administrador do Freeport, resolveu perseguir os jornalistas que deram a notícia. Para além do director da TVI, José Eduardo Moniz, e dos jornalistas Manuela Moura Guedes, Ana Leal e Carlos Enes, resolveu levar a tribunal o repórter de imagem Júlio Bagulho, provavelmente por ter filmado a fachada da polícia britânica. Não é caso para menos, quem filma o edifício onde trabalham os polícias que escreveram que José Sócrates é suspeito, deve ser exemplarmente castigado.
O que preocupa o nosso pequeno e medíocre governante prepotente não é haver um alegado caso de corrupção ou um eventual aproveitamento da Smith and Pedro, do seu nome, para extorquir dinheiro a uma empresa. O que chateia o nosso primeiro-ministro é isso ser notícia.
Se Sócrates tiver a maioria absoluta, podemos ficar cientes que vai fazer leis à sua medida, para conseguir uma justiça e comunicação social convenientemente amestradas.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

44 Respostas a A realidade é que se engana

  1. lili diz:

    Muito bom, este post, muito esclarecedor.
    Se isso acontecer, talvez este país acorde e se faça realmente oposição.

  2. Carlos Vidal diz:

    O problema, o grande problema é se um dia um partido (o Bloco cairá nisso??) cair no fatal passo de viabilizar um outro governo deste grande e enormíssimo estadista. E se isso acontecer, vamos ter que estar aqui, ou num jornal, a pesar caracter a caracter o que se está ou não a dizer. E depois, esse movimento ou partido também será responsável por esta espécie de “balança mental” que as pessoas decentes e genuínas vão ter que usar.

    Quem poderá cair nesse erro fatal?

  3. Helder Fernando diz:

    Falta pouco para verificarmos, de uma vez por todas, quem entre os que criticam o actual desgoverno de Portugal, principalmente os da política profissional, é conivente com a manutenção dessa turma no poder.

  4. burns diz:

    cheira mal demais este esgoto da europa
    quero ver o estado portugues a processar este ditadorzeco de algibeira

  5. José Manuel diz:

    “embora não tenha processado, que se saiba, Charles Smith e João Cabral que o chamam de “corrupto” , numa reunião com um administrador do Freeport, resolveu perseguir os jornalistas que deram a notícia.”

    É exactamente este ponto que põe em dúvida a credibilidade da argumentação de Sócrates neste caso.

  6. Martins diz:

    Sócrates pode processar quem entender. Isso é decidido pelos seus advogados e os tribunais depois dirão quem tem razão. Processar alguém por difamação é um acto normal em democracia e aliás o difamado não tem outro meio de se defender. O que queria você que o PM fizesse? Que assistisse calado e quieto às constantes injúrias, difamações e insinuações? O que conta no processo ou em qualquer processo é o que diz ou conclui a PGR, os procuradores encarregados do caso e os tribunais, não são os jornais nem os jornalistas.

  7. pedro diz:

    Grande momento estalinista, por fim. O julgamento de intenções! Bravo!

  8. Enojado diz:

    “Se Sócrates tiver a maioria absoluta (…)”

    Manda essa boca p’ra lá…
    Bati logo com as costas da mão direita na madeira (da mesa, não do AJJ, claro).

  9. ana diz:

    Um caracter é exactamente o quê, Carlos Vidal?

  10. penko diz:

    Mas ainda vai alguém votar num individuo que tem questões a deslindar com os tribunais mormente, com a suspeita de corrupção?Eu não posso ir votar numa pessoa destas pq não me inspira confiança,como é óbvio,é a mesma coisa de ir dar o meu voto ao isaltino morais…
    Realmente,já não há honra e estamos metidos numa fossa de de aldrabões juntamente com uns crédulos q acreditam no rato mickey…

  11. penko diz:

    Sabeis que o Evo Morales foi vitima de um atentado na 5ª feira à noite?Sabemos da Susan Boyle,da sua cantata,do seu bigode e da gaja boa comó milho que estava no júri,mas nada sobre o que se passa com um país expoliado de toda a sua prata pelos ‘defensores dos direitos humanos’?
    É o jornalismo de excelência vindo dos imprescindíveis privados-informação mais isenta,concerteza……………..

  12. javali diz:

    Qualquer dia chegaremos aos que largam comentários num blogue. Tenham lá paciência, pá: o respeitinho é muito bonito. Eu gostava de processar o PM por atentados à estética serrana nacional mas não tenho dinheiro para pagar a advogados. Só processa quem pode.

  13. tenham medo, tenham muito medo.

    Ufff…. o problema é que não vejo quem seja capaz de o derrubar. Bem gostava… ai…. saudades do tempo dos grandes líderes com ideologia e cabeça, que queriam coisas e tinham ideais.

    Isto a mim parece-me tudo uma fantochada.

    Que voltem os ideais. Precisamos deles!

  14. Nuno, ponha-se a pau! Olhe que você continua a “tentar a sorte” e já foi, inclusivamente, devidamente avisado:

    http://jugular.blogs.sapo.pt/829680.html

    Isto é demasiado mau (e amador) para ser verdade.

  15. O berllosconismo faz escola!

  16. javali diz:

    Bem observado, Nuno.

  17. Waiwan diz:

    É demasiado óbvio que esses pequenos e medíocres jornalistas referidos no post, para além de terem violado as mais elementares regras deontológicas, cometeram o crime de deliberadamente terem atentado contra o direito geral de personalidade, nomeadamente a personalidade moral. Na personalidade moral incluem-se os valores da honra. A lei tem em vista a defesa dos cidadãos contra qualquer ofensa ou ameaça ilícitas da sua personalidade física ou moral. Esses “jornalistas” da TVI não tem feito outra coisa. Ao invés de garantirem a objectividade da informação e a independência perante todas as forças, deixaram-se possuir pelo espírito de vingança, sendo por isso capazes de filha-sa-putices nunca antes vistas.

  18. Waiwan diz:

    Sendo as licenças de televisão atribuídas pelo Estado, e ainda por cima limitadas a duas, é imperioso encontrar mecanismos que nos assegurem que essas duas licenças são entregues a jornalistas idóneos. É por demais evidente que a TVI não cumpre esses requisitos mínimos. Vou lançar uma petição, a bem da higienização pública, para que se retire a licença à TVI.

  19. O PS já tem maioria absoluta…

    Não entendo onde quer chegar, já poderia ter feito muita coisa nesse aspecto.

  20. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Estou completamente de acordo que esses jornalistas deviam ser condenados: deram notícias desagradáveis para sua excelência. Há outro critério para distinguir um bom e um mau jornalista que os favores do grande líder? Concedo que há sintomas que nos permitem distinguir os excelentes jornalistas (os que não incomodam sua excelência) dos outros. Um teste rápido é dizer a um jornalista: “rebola e faz de morto” , se eles obedecerem prontamente e abanarem o rabo são excelentes jornalistas. Fácil e qualquer dia obrigatório. Pode até vir a chamar-se o teste Santos Silva.
    Já agora que lei violaram os jornalistas da TVI ao passarem o DVD? O interesse público? O interesse jornalístico? Não vale dizer que o segredo de justiça, dado que o DVD não consta do processo e , como tal, não está abrangido por isso.
    Vai ser bastante divertido, ver as sentenças daqui a uns anos no Tribunal Europeu, só espero que seja o próprio a pagar e não o contribuinte.
    Ricardo Ferreira,
    As alterações que este governo fez ao Código Penal e ao Código de Processo Penal e ao que é considerado Segredo de justiça, já são indiciadores do que para ai vem.

  21. Waiwan diz:

    O comentário que o NRA acaba de fazer é bem ilustrativo do ódio que esses “jornalistas” nutrem pelo primeiro-ministro. Pelo menos é assumido, reconheça-se. Acontece que basta este mero facto para se poder concluir que quando assim é , a isenção e objectividade, que são as pedras angulares de qualquer jornalista digno desse titulo, são os primeiros requisitos a sucumbir.

    Estou-me a cagar para o Sócrates ( eu voto no bloco), o que me preocupa está contido aqui:

    Um dia vieram e levaram o meu vizinho que era judeu.
    Como não sou judeu não me incomodei.

    No dia seguinte, vieram e levaram
    Outro vizinho que era comunista.
    Como não sou comunista, não me incomodei.

    No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
    Como não sou católico, não me incomodei.

    No quarto dia, vieram e me levaram;
    Já não havia mais ninguém para reclamar

  22. Waiwan diz:

    A verdade é que as notícias da TVI são produzidas por meio da selecção e classificação dos factos a partir de categorias ideológicas e pessoalizadas. O mais grave é que não é a mera conquista de audiências que está em causa. O que sucede é a TVI lançar mão de um conjunto de procedimentos escabrosos que promovem um corte arbitrário no fluxo do mundo quotidiano, oferecendo uma fatia da realidade ao publico, como que transformada em notícias carregadas de uma ideologia constituída, e um indisfarçável acerto de contas. Vingança, portanto. Ora isto é crime. A TVI vai estar um dia sentado no banco dos réus e vai perder a licença. Deus é grande.

  23. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Waiwan,
    Por um lado, citar o Brecht, sobre Hitler, por causa das notícias do Freeport, parece-me pelo menos branqueador do nazismo. Para si, um regime que exterminou dezenas de milhões de pessoas passou a ser igual ao facto de jornalistas noticiarem sobre um caso.
    Por outro lado, engana-se a minha resposta não era contra o Sócrates, mas contra as pessoas que querem controlar as notícias. Eu não faço notícias com gostos, mas com factos. Sobre o caso freeport estou à espera do primeiro desmentido. Acho que posso esperar sentado.
    Vamos aos factos, qualquer jornalista do mundo noticiaria um vídeo em que dois mediadores de um negócio, descrevem com pormenores um alegado caso de corrupção e nomeiam um ministro. Não cabe ao jornalista julgar, mas aos tribunais. Cabe ao jornalista noticiar, e isto é notícia. Sobre o facto de o primeiro-ministro estar visivelmente mais preocupado em processar os jornalistas que os alegados caluniadores, também me parece muito sintomático. A comunicação social deve ser livre de noticiar casos que envolvam poderosos. A multiplicação de processos contra jornalistas é uma tentativa de os pressionar e atemorizar. Eu não pretendo ceder a essa acção.
    Um jornalista é uma pessoa. As pessoas podem e devem ter opiniões políticas, isso não as deve impedir de tentar fazer o trabalho mais honesto e inteligente possível. Já fiz reportagem sobre igrejas, e o facto de ser ateu, não alterou em nada a honestidade desse trabalho. O jornalismo não impede as pessoas de terem opinião, mas tem uma metodologia própria de modo a tentar separar juízos de valor de juízos de facto.
    Finalmente, é você que chama aos profissionais da TVI de : “jornalistas” (assim mesmo entre aspas). Para si, provavelmente, só são jornalistas aqueles que publicam notícias sobre assuntos que lhe agradam. Naturalmente, são grandes jornalistas aqueles que chamam , aos relatórios pagos pelo governo, relatórios da OCDE. Aqueles que comem de uma forma acrítica os press-releases das várias fontes institucionais. Lamento informar-lhe, mas assessoria de imprensa ainda não é uma categoria do trabalho jornalístico.

  24. Enojado diz:

    Diz o Waiwan:

    “Estou-me a cagar para o Sócrates ( eu voto no bloco)”.

    Ah, sim? Não me diga! E faz as duas coisas simultaneamente?
    Mude mas é de truque, que esse tem barbas…

  25. rosarinho diz:

    Subscrevo o post.
    Acrescento:
    BOTA-ABAIXO é quererem MATAR OS MENSAGEIROS. BOTA-ABAIXO é NÃO PRESTAR CONTAS ao país que se diz servir. BOTA-ABAIXO é a HUMILHAÇÃO de todo um povo, que é considerado corrupto na Europa e no Mundo. Não queremos que nos impinjam À VIVA FORÇA a pele de VÍTIMAS. QUEREMOS andar de CABEÇA ERGUIDA!

  26. Carlos Fernandes diz:

    Faço notar que este comentário não é feito porque Sócrates é do PS, do PCP ou do PSD ou do YXY.
    ( Da mesma forma que acho condenável e inaceitável que em momentos de crise nacional o presidente da ARépublica, seja do partido A ou B, compre carros de 30 mil contos).

    Se amanhã o Primeiro Ministro for doutro ou do mesmo partido e for suspeito de qualquer ilicitude a Justiça tem de agir, no interesse do Regime e do Estado de Direito Democrático. O que me interessa, e à esmagadora maioria dos portugueses é saber se existiu ou não corrupção. Independentemente de haver um DVD e uns emails, e porventura outras gravações, há o facto tremendamente suspeito de, em termos de rapidez temporal , de haver uma aprovação e uma decisão ambiental a um empreendimento da parte de um Governo demissionário e em gestão.

    È que aqui, como qualquer observador mais culto e conhecedor das liçoes da história saberá, se a Justiça não funcionar, é a própria Democracia que estará em perigo…

  27. rosarinho diz:

    Ó senhor engenheiro, O senhor ESTÁ primeiro: PRESTE CONTAS ao PAÍS, se a servi-lo se DIZ, primeiro. O senhor engenheiro está no PODER, os outros ANDAM A VER e terá de dar o EXEMPLO, senhor engenheiro: o senhor ESTÁ PRIMEIRO! Depois se motivos houver, persiga o MENSAGEIRO, senhor engenheiro, mas o EXEMPLO vem PRIMEIRO. senhor engenheiro, QUEM NÃO DEVE NÃO TEME, é preciso perceber o que vem PRIMEIRO, as contas e o dinheiro de quem VAI AO LEME. Somos um país de BRANDOS COSTUMES, senhor primeiro, engenheiro – NÃO queremos INJUSTOS LUMES. NÃO VALE TUDO, o povo NÃO É MUDO, senhor engenheiro, o senhor ESTÁ PRIMEIRO!
    (Este é o desabafo que me saiu. Tenho dito!)

  28. Pingback: Catarse

  29. lica diz:

    as putas ao poder! os filhos já lá estão

  30. rosarinho diz:

    Ó menino d’ouro, diga lá, andou, ou não, à caça de tesouro? Ó senhor engenheiro, mostre lá primeiro se fez, ou não, dinheiro, onde pára o mealheiro? O povo não é mudo, não lhe permite tudo.

  31. mf diz:

    palerma foi o Botas , fazia uma lei qualquer sobre a honra do regime , e em vez do lápis azul , metia processos , caros , muito caros , e zás , já não havia censura. num instantinho passava de ditador a quase democrata . falta de ideia a do tipo.

  32. Patricia diz:

    Com que provas podia Sócrates processar o Sr.Smith?.Com o video da TVI não era concerteza como sabemos.A quem e a qual orgão de comunicação social o Sr.Smith disse de viva voz que o 1ºministro era corrupto?.Quanto á questão da hipótese da 2ª maioria absoluta,que não me agradava nada,não será o 1ª vez que isso acontece,nessa altura tambem foram anunciados grandes perigos e tragédias,os eleitores ficaram com tanto medo que até o escolheram para PR.

  33. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Patrícia,
    O Vídeo consta do processo inglês. Não é, portanto, uma fasificação. Bastava pedi-lo, interrogar as testemunhas e com base nisso processar o Sr. Smith. Mas, percebo que seja mais fácil para algumas pessoas, fingir que ele não existe. Aliás, vai ser bastante divertido processar jornalistas por causa de um vídeo inexistente. Vai ser uma excelente discussão metafísica: o vídeo existe para processar jornalistas, não existe para processar o Smith e não é levado em linha de conta pela investigação portuguesa…fantástico

  34. Jeronimo diz:

    Vejam o link seguinte, para se perceber bem que a TVI não está a fazer jornalismo, mas a (tentar) mostrar que consegue manipular as suas audiências e mandar no país:
    http://vistodaeconomia.blogspot.com/2009/04/freeport-e-jornalismo.html

  35. carlos graça diz:

    Nuno R Almeida:

    Parabéns pela lucidez, e obrigado pela análise. Talvez se chamem filósofos para discutir a metafísica da coisa, saber, como dizia o Heidegger, “Porque é Ser, e não antes Nada?”…

  36. Estava à espera que me divulgasse coisas bombáticas, mas se se fica pelo código penal, pelo código de processo penal e pelo segredo de justiça, então fico mais descansado, foi mais uma montanha que pariu um rato.

  37. Patricia diz:

    Ao Nuno Ramos de Almeida-Para mim não é mais fácil fingir que o video não existe,só que neste momento está a decorrer uma investigação,seja real ou montagem para essa investigação ele não conta,como não contava para que Sócrates pudesse processar o tal Smith.Os processos que refere que foram levantados aos jornalistas,não podem ter o video como fundamentação legal,terão decerto outra.Quanto ao processo ingles não me posso pronunciar,presumo que tenha tido acesso a ele,nessa matéria de segredo de justiça não conheço as leis inglesas.

  38. Pingback: Na íntegra « O Insurgente

  39. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Se somar a isso o super-coordenador das polícias e a alteração do estatuto dos magistrados do ministério público, já tem um maravilhoso quadro de concentração de informação e de controlo das investigações. Vai uma apostinha que depois do Freeport a deriva berlusconiana se vai reforçar?

  40. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Cara Patrícia,
    1. O vídeo é verdadeiro.Foi gravado por um administrador do Freeport e que consta do processo inglês, não é admitido como prova em Portugal, como não seria uma filmagem de uma testemunha de um assalto a um banco. O facto de vídeos não autorizados não serem admitidos como prova não significa que não possam ser admitidos como indício numa investigação.
    2. Caso seja verdadeira a notícia do Expresso, que dá como processado o repórter de imagem da TVI, isso quer dizer que o primeiro-ministro processou a estação da TVI por ter divulgado o vídeo. O repórter de imagem Júlio Bagulho assina, apenas, essa peça com a Ana Leal. O que torna a coisa absolutamente ridícula, pq ele vai ser processado não por ter obtido as imagens do DVD, que não está em segredo de justiça, e que é trabalho da sua colega Ana Leal, mas por ter filmado a fachada da polícia britânica.
    3. O que dá três coisas fantásticas:
    a) A divulgação do DVD serve para acusar jornalistas.
    b) O conteúdo do DVD não serve para incriminar Charles Smith e João Cabral , que caso o conteúdo do DVD não seja verdadeiro, difamaram José Sócrates.
    c) As autoridades não devem tomar em linha de conta o conteúdo do DVD para apurar a verdade dos factos na investigação, tendo a procuradora Cândida Almeida declarado repetidamente que se recusa a ver o DVD.
    Concluíndo, o DVD é uma espécie de gato de Schrödinger, no mesmo momento, ele existe para acusar jornalistas e não existe para responsabilizar os eventuais difamadores ou corruptores e corrompidos. Saimos, portanto, do domínio da justiça e entramos na física quântica. Nem com o Magalhães nos safamos.

  41. carlos graça diz:

    … ah ah.. aplicam-se aqui bem o kafka e o beckett…

  42. Pingback: Homenagem e agradecimento ao Zé Nuno do «5 Dias» |

  43. Bibaeu diz:

    O jornalismo é mesmo um mal necessário. Escrevem o que lhes apetece, e depois têm medo das consequências. Não percebo qual é o problema de o 1º ministro processar os jornalistas, não vejo qualquer tipo de perseguição. Os tribunais existem para isso mesmo, receber queixas, averiguar os factos, decidir quem tem razão e aplicar castigos. Se os jornalistas apenas noticiaram verdades, então é para o lado que dormem melhor, e o 1º é que paga as custas do processo. Nunca votei PS em 30 anos.

  44. Nuno Ramos de Almeida diz:

    1. Ainda bem que está certo que é o primeiro que paga as custas do processo e não o contribuinte.
    2. Processar sucessivamente jornalistas que fazem o seu trabalho, mostra que o primeiro-ministro tem dificuldades de viver com a liberdade de imprensa.
    3. É óbvio que os processos são uma tentativa de condicionar os jornalistas e as empresas. Não sei se sabe, mas quando aparece um pedido de indeminização a um jornal de 250 mil euros ou mais, esse quantitativo tem que ser reflectido em balanço, como provisão para despesas judiciais, salvo erro, e a sua simples menção deteriora a situação financeira do jornal e os seus rácios de exploração. É óbvio que há aqui uma tentativa de amedontrar os jornalistas e condicionar as empresas.

Os comentários estão fechados