João Miguel Tavares

Para que não restem dúvidas (o silêncio presta-se a mal-entendidos, na blogosfera), declaro aqui, perante o desinteresse geral, que estou completamente solidário com o João Miguel Tavares, que foi processado por José Sócrates por uma coisa que escreveu no DN.

Recordo, a propósito, um post que escrevi em tempos no Glória Fácil, quando Sócrates processou o “blogger” Balbino Caldeira. Mudem-lhe os nomes e é a mesma coisa.

Separados à nascença

Haverá uma imensidão de coisas a dizer sobre o processo que José Sócrates moveu contra António Balbino Caldeira. Por exemplo, que José Pacheco Pereira tem absoluta razão quando diz, no Abrupto, que há no primeiro-ministro, “uma indiferença face à honestidade e à verdade, uma política feita de trapalhices e trapacices, um vale tudo para manter o poder, ganhar uns pontinhos, esmagar um adversário, um autoritarismo com os fracos e subserviência para com os fortes, um parecer mais que ser“.

Este “autoritarismo com os fracos e subserviência para com os fortes” prova-se, aliás, no facto de de Sócrates ter processado Balbino Caldeira e não ter processado o próprio Pacheco, que considerou Sócrates a atreito a “trapacices” e “indiferente face à honestidade“, coisa que nunca vi escrita no

Haverá, volto ao princípio, uma imensidão de coisas a dizer. Uma delas, para já, é que se prova, no fim de contas, que Sócrates e a srª drª DREN Margarida Moreira são personagens feitos da mesma massa: gente burra a quem alguém não deu chá em criancinha.

 

Sobre João Pedro Henriques

Jornalista
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a João Miguel Tavares

  1. bloom diz:

    A inveja é um pecado muito feio.

  2. António Figueira diz:

    Penitencio-me por não ter lido este post em devido tempo. Justas palavras.

  3. Pingback: cinco dias » O problema da inversão do coisa da prova (II)

  4. O Governo Portugues nao tem crebilidade alguma…..Roubaram nossas casas e ainda foram chamar cabrao ao meu Pai e Puta a minha Mae…..E hoje tenho que viver no Estrangeiro para poder mostrar estes crimes porque em Portugal me prendiam…por isso desculpem nao poder colocar os acentos nas Frases

Os comentários estão fechados.