E quem defende a honra de Cicciolina?

pinochio
Já não é a primeira vez que me vejo obrigado a defender publicamente a honra de Ilona Staller, vulgo “Cicciolina”. Agora, a pobre parece ter-se visto associada à figura dúbia de um político menor num país manhoso. Mas quem será o tal Tavares para se dar ao luxo de perorar sobre a visão que a camarada Ilona hoje tem ou não sobre a monogamia? E como ousa ele associar uma artista conhecida a um senhor que se licenciou sabe lá Deus como e depois disso só se meteu em negócios polémicos? Uma actriz com centenas de títulos editados em DVD posta ao nível de um canastrão que só há dias teve o primeiro DVD emitido na TV? A mulher que inspirou um artista do gabarito de Jeff Koons equiparada a uma criatura que nada suscita para lá de j’accuses de pacotilha?
Processa o Tavares, brava e esforçada Ilona. Processa o Pinóquio! E, de caminho, permite-me a veleidade de imaginar que a tua resposta a estes gabirus seria sempre algo bem explícito e improcessável. Como isto.

Este artigo foi publicado em cinco dias, Nuno Ramos de Almeida. Bookmark o permalink.

13 respostas a E quem defende a honra de Cicciolina?

  1. FORTEIFEIO diz:

    Fabuloso. Muito bom…..

  2. Luis Moreira diz:

    E é isto na Páscoa!Porra, Luis Rainha, que mau feitio…

  3. Nuno Ramos de Almeida diz:

    tenho que começar a avisar que os teus posts são para maiores de 6 anos.

  4. E a musiquinha, então!!!

  5. Luis Oliveira diz:

    Acho bem que sim, e eu tenho que deixar de ler o 5 dias no local de trabalho …

  6. Simon diz:

    E que doutora inginheira!
    Boa Llona, de verdade!…

  7. xiiiiiiii, tudo tão escondidinho, Luis.

  8. Luis Rainha diz:

    Nada disso, Ana. A senhora sempre se destacou por trabalhar com tudo à mostra. E assim se diferencia de muitas outras. E de muitos outros.

  9. Nem mais, Luis, daí não merecer ser escondida.

  10. LAM diz:

    Eu processava já o tal Tavares.
    O que é que alguém tem a ver se a dita é mono ou stereo? Isso é conversa para fodilhófilos. Será até natural que quem passou a vida toda a virar frangos (e frangas) para fora, tenha como sonho um peixinho grelhado. Então o inverso também não é verdade? oh, oh…

  11. miguel dias diz:

    Ninguém, que eu saiba, assinalou o facto de durante alguns anos Cicciolina ter experimentado a monogamia. Durante um breve período, é certo. Não gostou, partiu para outra, mas pode falar de monogamia com conhecimento de causa e alguma autoridade.
    Por outro lado, não lhe são conhecidos assinaturas de favor em projectos manhosos, licenciaturas de fim de semana, casas compradas por metade do preço, turbo aprovações de projectos imobiliários, processos movidos a jornalistas, e outras maldades do género. Como politica, pautou a sua actuação por grande responsabilidade, noção de serviço e ética inatacáveis. Defendeu causas nobres tais como contra a energia nuclear e a OTAN, pelos direitos humanos e contra a fome no mundo. Não se lhe conhecem DVDs comprometedores. Do tempo da película , do beta e vhs, os videos em que aparece, ou em que é, referida mostram-na sempre em posições irrepreensíveis, ainda que na minha opiniáo inferiores à sua contemporânea monica bella.
    Foi (é) uma mulher imaculada sobre todos os pontos de vista, particularmente do ponto de vista da moral política, assunto sobre o qual poderá discorrer com toda a autoridade.
    Importava pois sublinhar estes factos até agora ignorados, e que desmontam cabalmente a frágil argumentação do senhor Tavares, merecedor portanto do processo que lhe foi movido pelo senhor Sócrates.

    http://espumadodias.blogspot.com/2009/04/muito-se-tem-falado-da-cronica-do-joao.html

  12. Pingback: O pensamento político de José Sócrates e de Anna Ilona Staler (homenagem a João Miguel Tavares) | Aventar

  13. Pingback: O pensamento político de José Sócrates e de Anna Ilona Staler (homenagem a João Miguel Tavares) « Aventar

Os comentários estão fechados.