Bom, deixemo-nos de brincadeiras e exemplifiquemos….

Uma pressão, ora, ora, uma pressão.
Esta, verdadeiramente impactante por cima sobre todo o meu peito…. subindo, subindo em si (Kant) e em mim…. Sofia, isso, Sofia….

pressao2

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 respostas a Bom, deixemo-nos de brincadeiras e exemplifiquemos….

  1. almajecta diz:

    Bom bom, não é o ilheu, esta não vou comentar, em si e na escada de Jacob afigura-se-me muito desproporcional em nómeno do inefável. Abjurarei dos deveres da honra atirando-me cegamente a seus pés.

  2. LAM diz:

    problemas ortográficos (ou serão ortopédicos?). Sobre a figura anexa falaremos em preção. Não pressão.
    Além do mais sabe-se, alguém explicou, que pressão não se exerce em actos recatados como um almoço ou íntimos como sugere a menina da cueca azul: a pressão, ainda bem que explicaram, pelos vistos é feita no meio da rua, de preferência de megafone e com pilhas novas.
    Um gajo anda sempre a aprender.

  3. Gotinha diz:

    Levei emprestado. Obrigada.

  4. Carlos Vidal diz:

    É isso, LAM, muito bem, é isso que eu vou fazer. Perante ela, uma preção. Se Deus me ouvisse………….

  5. almajecta diz:

    Contudo é meu dever comentar e em Australiano the most obvious addition shown on the upper post is the large muscle of the chest, the pectoralis major. It is of the thick triangular form, arising from the medial half of the clavicle, half the breadth of the sternum and the cartilages of the first or second to the sixth or seventh ribs and the aponeurosis of the obliquus externus abdominis. At the other end the muscle converges into a flat tendon which twists over to insert high into the humerus.

  6. LAM diz:

    Falo do preço. Uma coisa daquelas deve ficar por um preção, um balúrdio. Refiro-me ao barco, claro.
    (Aliás, entre magistrados, pessoas de bem como explicou outra pessoa, nem se esperaria outra coisa.)

  7. almajecta diz:

    Carlos, estou convicto ser a testosterona a hormona obnubilante das meninges dos nossos grandes escribas em pé e arquitontos. Quantos se increveram este ano lectivo no bolonha4 para tentar começar a pintar? e no amestramento bolonha2? e nos doutoramentos bolonha3? E pós-docs e investigação? Quantos? Imagino-os a transbordar de qualidades excelsas. A tradução do Vitruvio realizada na tontura do Técnico não me parece má, contudo como os medicamentos terá que ser destrancada, donde a metáfora da tua imagem, mas com a cachopa muito mais nova para poder fazer mais im pressão nas tipografias como é evidente.

  8. Camelo no buraco da agulha? diz:

    Olá, Go(a)tinha!
    Será a mesma?
    Será que vai devolver o (que levou) emprestado?

  9. almajecta diz:

    Isto está fraco, a ardinagem já se passou, nem as execelências da literatice nem as cegueiras iconóclastas, triste sina esta.

Os comentários estão fechados.