Seja qual for o futuro do Partido Socialista, por favor preservem-me o pensamento político de Edite Estrela

Se os defensores da doutrina neoliberal tivessem ouvido as advertências dos socialistas, não estaríamos hoje mergulhados nesta crise.
(E. Estrela)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a Seja qual for o futuro do Partido Socialista, por favor preservem-me o pensamento político de Edite Estrela

  1. Ibn Erriq diz:

    Do que raio estará ela a falar?

  2. Carlos Vidal diz:

    Ibn Erriq,
    Edite diz-nos que von Hayek, Milton Friedman, a malta da Escola de Chicago, Thatcher e Reagan (e também Pinochet) não ouviram antes de tudo e de agirem, Sócrates e ela própria, Edite – como notáveis representantes socialistas que são.

  3. almajecta diz:

    amanhã passo aí pelas 13 hrs. para podermos estar presentes na aula magna do IP de Viseu.
    É importantíssimo por vias dos Chicago Boys e do Thierry Leguay da histoire raisonné, estou a ultimar uns pequenos problemas que tive com o avionics and other electronics aqui no piper comanche 180 mas até lá a coisa resolve-se.

  4. Luis Moreira diz:

    Edite “a estrela”.A pior Presidente de câmara de toda a história de Portugal.Não tem uma única frase, um único pensamento, uma única obra que se reconheça. Mas tem muitos amigos bem instalados. E não esquecer.Foi considerada culpada em tribunal por utilizar a revista da câmara na sua própria campanha. O pensamento PS é assim.Isto é tudo nosso!

  5. almajecta diz:

    Aí vai um grande momento da nossa língua, continuo a pensar que a senhora apenas investiga a histoire raisonné do bom Thierry Leguay.
    “É uma absoluta intolerância. A qualificação da democracia não se faz com o BE”, disse, considerando que também não é no PCP que isso acontece, questionando: “como podemos aceitar que um partido diga a um deputado eleito que agora tem de ir embora para entrar outro?”

  6. Carlos Vidal diz:

    Grande Jecta e Grande Alma, o pensamento da senhora de facto cava muito mais fundo do que todos julgamos na nossa inocência irresponsável. Vê como ela encarniçadamente defende o “deputado eleito”, “como podemos aceitar que um partido diga a um deputado eleito que vá embora”, vê o recorte desse statement e vê como ele configura uma das melhores ilustrações do conceito e prática dos “direitos humanos”. Qual Saint-Just, qual Robespierre, qual quê?
    Como Edite, só vejo um outro autor – José Lello, mas desse ainda pouco ou nada encontrei, mas sei da sua perene marca (Lello, Coelho, Vara, enfim, uma constelação infinda, que nem um Mallarmé, homem de constelações, saberia definir).

  7. almajecta diz:

    Então já não tinha sido anunciada a morte do autor?
    Certitico que os statements (e)manados daquelas bandas são amiúde de grande tolerância, lisura , educação e fair play.
    O statemement do nosso amigo traidor lá da cosa nostra, mui recentemente inflamado não sei por que egoico-vanitosa razão desata a afirmar que por ser independente tem todo o ps atrás. Coitados dos militantes do ps.
    O que é que lhe deu? Faz aí um inquérito sociológico para tentarmos compreender a dita tirada.

Os comentários estão fechados.