Breve nota acerca das pressões sobre os magistrados portugueses

claudio_monteverdi_4
Claudio Monteverdi

A questão Freeport (ou “Fripór”, segundo José Sócrates) tem recentemente, e depois de anos e anos de silêncio, somado dados sobre dados, notícias sobre notícias. Com os dados disponíveis, todos nós já temos algumas convicções e conclusões (não forçosamente provisórias) acerca do que se terá passado aquando da autorização de construção do empreendimento. Mais dados estão ainda a ser apurados. Entretanto, o presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, João Palma, recém eleito para o cargo, afirma em telejornais que os magistrados que investigam o Freeport estão sob pressão incomportável e ameaça denunciar este caso, dizendo que por esta altura não pode divulgar nada. Em todo este processo de investigação tive conhecimento de poucas coisas tão graves quanto esta. E a pergunta impõe-se pois: quem pressiona os investigadores do caso Freeport??
Proponho algumas pistas:
– Partido Comunista de Madagáscar
– Nicole Kidman
– Bruce Lee
– Slavoj Zizek
– Claudio Monteverdi
– Prefeitura da cidade de Recife
Resumindo, como não me parece que essas pressões provenham de qualquer círculo, grupo ou partido político português, é nas hipóteses acima mencionadas que teremos de nos concentrar.
Averiguar e descobrir o que se passa.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 respostas a Breve nota acerca das pressões sobre os magistrados portugueses

  1. lili diz:

    Eu aposto na Nicole Kidman; que é actriz que não suporto.

  2. Luis Moreira diz:

    Eu pressões só da Nicole, que suporto até só mexer os olhinhos…

  3. Tiago Mota Saraiva diz:

    Mais do que saber quem fez as pressões, parece que o importa é processar quem as denuncia.

  4. Carlos Vidal diz:

    Táctica muito antiga, Tiago: quando a mensagem não agrada culpa-se o mensageiro.

  5. almajecta diz:

    muita água a ferver para o reboliço, donde Maria José Morgado ter escolhido procuradoras experientes para investigar fugas de informação que espero, sejam morenas e de olhos escuros.

  6. LAM diz:

    Sejam lá quem forem os agentes pressionantes (lembrei-me agora do Pinto da Costa e do Luis Filipe Vieira para acrescentar ao rol, já agora e porque é coisa a que esses estão mais habituados), estou com imensa pena dos magistrados que estao sob pressão “incomportável”. Cuido até pela sua saúde. A pressão é muita e desumana. Pedir a alguém que termine uma investigação dessas em 4 anos é cruel. Não se faz.

  7. Carlos Vidal diz:

    Num certo sentido, você tem toda a razão LAM. Percebe-se o que quero dizer. É só tentar perceber em que sentido é que se efectivam as pressões – no sentido do avanço ou da paralisia da coisa chamada “investigação” (por mim, não sei bem porquê, acredito mais na investigação inglesa, ou no empurrão inglês; que quer? provincianismo meu, o que é de fora é que é bom. Puro provincianismo, mas é a vida).

  8. – Bruce Lee!!!! NA CERTA!!!!!!!! Tudo se explica!!!

  9. almajecta diz:

    isto da justiça, educação e igualdade é um aborrecimento. ” Provincianos de todas as províncias, uni-vos”.

  10. LAM diz:

    Carlos, eu também em relação ao caso sou um provinciano.
    Digo até, daqui da minha parvónia, que a coisa tem andado aos empurrões (prontosh, chame-se pressões), conforme vai dando jeito a uns ou a outros. Agora não vem mesmo nada a calhar ao engenheiro operático/retardatário. São tempos.

    almajecta, “quem com ferros ferros, com ferros ferros”.

  11. almajecta diz:

    Cá para mim estão é a fazer muito ferro.
    Ebulições, pressões e empurrõesl,
    já p’rós caldeirões, LAM.

  12. LAM diz:

    almajecta,
    seja. Prós caldeirões então.
    O que me dói nestra treta é que quem está a fazer o enredo é a turma da Manela. Sem ser a Moura Guedes, a turma da outra. e isso, pior que o caldeirão, é como se me enrabassem a alma.

  13. Camelo no buraco da agulha? diz:

    Denúncias dessas podem ser feitas até à eternidade: quem, como, quando, onde? Para que servem? São como as fontes… servem para o que mais convier (para nada!).

    Talvez seja o Bostanário que, por sua vez, é (im)pressionado pelo anterior que, por sua vez, não ata nem desata no Sporting que, por sua vez, vai ser pressionado por Congressos, cada vez mais frequentes… até cair de maduro daqui a 10 anos (se lá chegar!).

  14. almajecta diz:

    Acha? Olhe que não, olhe que não.
    Nós sabemos que quem votou para esta maioria nas últimas eleições foi a malta das turmas das Manuelas, portantus podem cá vir, como teem vindo nestes últimos 4 anos, que já não sinto nada.

  15. Carlos Vidal diz:

    LAM, aritmeticamente o Jecta tem razão: é o PS “ampliado de PSD” que está no poder.
    Repare, a esquerda (PCP e BE) cresceram aquando da maioria absoluta de Sócrates. Portanto, Sócrates foi mesmo buscá-la ao PSD. Como é já este que está no poder, porquê, no fundo, temê-lo??

  16. almajecta diz:

    Após aturada investigação sobre os canones fraccionários, presentemente desenvolvo matriz de progressão viável sobre os modulares, inconclusiva e enviesada como vem sendo hábito não chega para as derramas.

  17. almajecta diz:

    LAM, vem ajoelhar ao Sr. da Pedra por vias de vossos pecados.

  18. LAM diz:

    alma, o alho é que vou. nem ponta de pintelho ponho no cepo por essa gangada. komrad Karkovsky Vitalchenko acerta na aritmética mas perde-se na geometria: a base provável, sem maioria do engenheiro, será garantidamente com maior encosto à direita parlamentar, mais concretamente à direita puta que-vai-com-qualquer-um-que-lhe dê-a-mão do CDS ou PP ou lá o que é. Queijos não faltam e uma reviravolta por intercedência institucional de Sua Excª o PR também viria a calhar para garantir os votos revolucionário-independentistas do bronco da Madeira. “Institucionalmente” como se diz para benzer as santas alianças, era ouro sobre azul.

    Sr. da Pedra, Olé!

  19. almajecta diz:

    Essa geometria não está mal pensada não senhor, bravo.
    Não se fala mais nisso, votaremos em consciência e prontus. A intercedência não me parece que possa resultar, pois na harmonia e estabilidade vigente os interesses já estão muito arreigados, solidificados e outros apalavrados. Com o Compaio foi diferente e muito bem feito.
    Não se pode tanguear o Sr. da Pedra LAM, pois Ele está lá em cima a ver tudo e já não se deixa enganar por verónicas e as benzeduras estão caras etc e tal.

Os comentários estão fechados.