Handel/Antonini: Um disco que figurará em qualquer balanço de 2009

giardino3
Il Giardino Armonico é actualmente, e desde os anos 80 (Milão, 1985, precisamente) um dos melhores agrupamentos de interpretação do reportório barroco segundo critérios filológicos, ou seja, critérios de conhecimento profundo dos vários aspectos da música barroca que passam pela restituição em instrumentos de época, mas não apenas (pois uma orquestra tradicional pode também ser trabalhada de modo a cuidar de aspectos formais importantes, como ligados a questões de dinâmica e ornamentação, etc). Foi fundado pelo seu maestro actual, Giovanni Antonini. Agora apresenta-se numa caixa tripla e com a integral dos 12 Concerti Grossi, Op. 6 de Handel, no que acho desnecessário possuir qualquer dom de adivinhação para ter a certeza de que este trabalho figurará em Dezembro em qualquer selecção dos melhores de 2009. Sem dúvida.
O concerto grosso é um género de música instrumental usual no barroco, o qual nos apercebemos tratar-se do antecedente do moderno concerto para instrumento solista e orquestra. No lugar do solista-virtuoso actual, o concerto grosso usava, digamos, um grupo de instrumentos solistas; simplificando, o concerto grosso era, em linguagem actual, um concerto para um grupo de solistas (cordas, normalmente violinos e violoncelo) e uma orquestra. Aos solistas se chamavam concertinos e à orquestra ripieno. O concerto grosso pertence ao século XVIII e o concerto para solista virtuoso único consolida-se em finais do mesmo século. Costuma considerar-se, no barroco, Corelli como o expoente do concerto grosso. Handel, de quem se comemora em 2009 os 250 anos da sua morte, viveu em Itália entre 1705 e 1710, sofreu aí influências do mestre italiano e escreveria depois na sua fase de vida inglesa estes 12 Concerti Grossi, Op. 6. Apesar de escritos em Inglaterra, nota-se nestas obras um fulgor cantante e melódico, distante das obras munumentais do compositor (por exemplo a Música Aquática e as obras para os Fogos de Artifício Reais). Portanto, este é um Handel “italiano” e Antonini é aquele que leva mais longe, nestas obras, essa “italianização” de Handel. Il Giardino Armonico, Antonini e Handel, uma referência para 2009.
O vídeo em baixo é o objecto promocional deste lançamento recente. A não perder sob pretexto nenhum.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Handel/Antonini: Um disco que figurará em qualquer balanço de 2009

Os comentários estão fechados.