Novo Blogger no 5 Dias

Saudações… Sou um novo blogger aqui no “5dias”. E, sendo novo, quero primeiramente cumprimentar todos os que navegam nas internetes. Meu nome é Mark Fonseca Rendeiro, mais conhecido no mundo do “jornalismo do cidadão” como bicyclemark – um nome que não vale a pena explicar, mas só digo que já sobrevivi muitas aventuras diárias com duas rodas em Lisboa.

Detalhes talvez de interesse … Sou Luso-Americano nascido na comunidade Portuguesa de Newark, New Jersey.  Mais tarde, a vida levou-me por vários países Europeus; eventualmente, em 2002, cheguei e fiquei aqui em Amesterdão, cidade ideal para quem se chama bicyclemark.  Além de ter trabalhado para o jornal alternativo de Nova Iorque “The Village Voice, comecei o meu site/blog/ podcast dedicado ao jornalismo do cidadão em 2001.

Aqui no “5dias”, espero  poder falar e apresentar temas relacionados com a qualidade de vida, em qualquer parte do mundo.  Como falo e escrevo melhor em Inglês, vou muitas vezes usar essa língua. E bem, vamos a isso….

Sobre bicyclemark

Luso-Americano, nascido na colonia Portuguesa de Newark, NJ. Habitante de Amesterdão desde 2002. Jornalista sem jornal. Podcaster e Videoblogger.
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

26 respostas a Novo Blogger no 5 Dias

  1. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Bem-vindo. Venham os posts em todas as línguas.

  2. Odeio bicicletas … Ficas Já informado! Odeioooooooooooooo

    Mas és giro. Estás salvaguardado … por enquanto 😉

  3. Sérgio diz:

    Boa sorte para esta jornada no 5dias.

  4. Pedro diz:

    Bem vindo, ó bicicletista. Por acaso, nota-se que falas e escreves melhor em inglês. Olha que eventually não significa eventualmente (occasionally)….

  5. Mais uma razão para aproveitares e escreveres em Português. Pensa no Nabokov.:)

  6. Com esse curriculum, estão mesmo a calhar para ti os conteúdos do Magalhães… 🙂

  7. É sempre bom descobrir e poder ler a opinião de mais um adepto do pedal urbano (e inter-urbano). Bem vindo 😉

  8. Zé Nuno diz:

    Olá bicyclemark, que bom contar contigo no 5dias. Muito boas vindas amigo!
    Abr, ZN

  9. lili diz:

    Biclas, ficas já a saber que prefiro que escrevas nesse português mal-amanhado do que em inglês.

    Era o que faltava, olha se o meu querido, MEC tivesse tido a mesma alembrandura.

  10. Ricardo Santos Pinto diz:

    Espero que sim, que escrevas melhor em inglês. Porque em português, não vais lá das canetas… 🙂 (sem ofensa, claro!)

  11. Pingback: cinco dias » Somos cada vez mais

  12. Morgada de V. diz:

    Já cá faltavam os complexados com a pureza do português dos emigrantes. Byciclemark, escreva na língua que quiser, e escreva muito, que por cá anda tudo aos pontapés à gramática e ninguém se importa: é o Miguel Sousa Tavares com o “realizar”, os “obrigados” dos pivots, etc, etc. Mas são erros “da casa”, sabe, tem outro pedigree. Bem vindo e bons posts.

  13. Mariana diz:

    Welcome BicycleMark

    Do you do tricycles?

  14. lili diz:

    Não se importa você, Morgada… Que mau hábito este das generalizações.

  15. Ricardo Santos Pinto diz:

    São complexados, mas não desatam a inventar nomes para fingir que são outros. Escrevem sempre em nome próprio.

  16. Pedro diz:

    Já cá faltava o fadinho do emigrante…. ó Morgada, deixe lá os paternalismos.

  17. lili diz:

    E, já agora, os emigrantes, que coitados se fartam de trabalhar lá fora.

  18. renegade diz:

    acho que vou esta 6ª. Só se chover é que não.
    até lá!

  19. Ricardo Santos Pinto diz:

    Mas és coerente. Da mesma forma que conduzes a tua bicicleta com os pés, também escreves com os pés.

  20. Mariana diz:

    Mark,

    welcome to european snobbery…

    these people are idiots, Mark. There are plenty of them in the left. We

    sing the “fadinho” but they are a bunch of parochial “pacóvios”.

    I read the Village Voice when I lived in NYC. An excellent newspaper.

    take it easy,

  21. Mariana diz:

    Ricardo Santos Pinto,

    complexados?? se vivesse rodeado por concidadãos como você, até eu sofreria de um complexo… viaje até ao resto da Europa e verá que os tugas são tratados como pedintes patéticos…não faltam complexados por esta europa fora…

  22. Ó Mariana, se lesse com atenção, faria melhor figura.
    Não fui eu que falei em complexados. Não fui eu que chamei complexados aos outros. O meu comentário foi apenas uma resposta a quem me chamou complexado.

  23. Mariana diz:

    Ricardo,

    you say tomatos and I say tomatoes…

    Eu é que o aconselho a aprender a escrever como deve ser:

    Pensaria o quê se tivesse lido isto:

    “SÃO COMPLEXADOS, mas não desatam a inventar nomes para fingir que são outros. Escrevem sempre em nome próprio.”

    Das duas uma: ou você não compreende o que escreve e é um imbecil ou então não consegue escrever o que pretende transmitir e é…um imbecil.

    É um caso claro de um complexo de imbecilidade.

  24. Mariana,

    «Já cá faltavam os complexados», disse a Morgada de V. acerca do meu comentário. «São complexados, mas não desatam a inventar nomes para fingir que são outros. Escrevem sempre em nome próprio.», respondi-lhe eu. Percebeu agora?
    Quanto aos insultos, ficam com quem os profere e denotam bem a personalidade do seu autor.

  25. Paulo Ribeiro diz:

    aaaaahahahah!eehehehe!swiff! hic! agora, ó ricardo, então responde-se com uma formação reativa? aha! sem dúvida, está a reprimir os seus verdadeiros desejos. ou não? será maso?

Os comentários estão fechados.