“No meu tempo, havia respeitinho”

«De cada vez que o Governo promove um ambiente condescendente, de facilitismo, obviamente retira exigência à escola, retira disciplina à escola e aumenta as condições para que existam agressões», descobriu agora Paulo Portas. E, como todos sabemos, a violência só chegou às escolas bem depois do Paulinho das Feiras ter abandonado as responsabilidades governativas.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a “No meu tempo, havia respeitinho”

  1. Paulo Ribeiro diz:

    digo mais, sou do tempo em que um provedor de justiça, olhando para o pimentel e a alminha que por lá vegeta vai para 8 anos e 9 meses, sendo pacholas, paz d’alma, até choninhas ou, sobretudo por isso, se dava ao respeito através do mais acabado silêncio. portanto, qual braço de ferro entre ps e psd qual quê, ainda não encontraram foi o tipo certo. o idiota útil e pacholas em suficiência. e isso não se faz com tipos como laborinho, o arnault, o amaral, etc. qual era mesmo o assunto do post?

  2. Isso não muda o facto real de grande parte do ensino ser uma bandalheira pegada.

  3. JMG diz:

    Perguntas retóricas:
    O Paulinho das Feiras era Ministro da Educação?
    Os governos de que fez parte eram enformados pelos pontos de vista do PP?
    Os governos PSD/PP tinham um PR (e, já agora, uma opinião pública)que permitisse a destruição do lobby das ciências da educação, acantonado, então e agora, nas estruturas do Ministério da Educação?

  4. Albino Ferreira diz:

    De repente pensei que tinha caído num blog dum clube de futebol. Felizmente uma reportagem sobre o narco-estado da Guiné Bissau, levantou-me a hipótese iluminante sobre o estado dos comentadores da semana de trabalho…

  5. Luis Rainha diz:

    Nã, JMG. Foi apenas ministro de um dos tais governos que, ao que parece, fomentaram o aumento da violência nas escolas. E nem piou então sobre isso, imagine-se.

Os comentários estão fechados.