A piada da semana


José Sócrates para os sindicalistas da UGT: ‘cada vez que vocês organizaram uma manifestação e uma greve não o fizeram para servir a estratégia de um partido político…’. Os sindicalistas responderam a gritar “PS, PS, PS”. Sobre a independência estamos conversados. Sobre a ignorância do primeiro-ministro, é preciso dizer o seguinte: está a dirigir-se aos sindicalistas da UGT, a maioria dos quais só viu uma greve e uma manifestação na televisão. A sua acção preferida é “furar” greves e assinar acordos com o patronato. Como os donos que quando estão no governo aprovam códigos laborais, os mesmos que acham inadmissíveis quando estão na oposição.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a A piada da semana

  1. Carlos Vidal diz:

    Eu vi e ouvi esta situação ridícula ao jantar.
    Meu rico jantar.

  2. Aquela gente é toda “independente”, tão independente tão independente que fico com dúvidas se representam alguma coisa!

  3. Luis Moreira diz:

    Tive que ir ao ínicio do blogue para ver onde estava…porra ,isto foi mesmo violento.Quanto à UGT é,sempre foi, mesmo nos governos do PSD, o prolongamento do governo.Nem sempre estou de acordo com a CGTP mas, ao contrário da UGT, não envergonha ninguem.

  4. Meus amigos qual é a vossa admiração o 1º Ministro não estava ali na qualidade de 1º Ministro.
    Estava como sócio sindicalizado da UGT.
    E consta que se perder as eleições legislativas se vai candidatar a secretário geral da UGT, afim de uma vez por todas por esta central sindical a defender os direitos dos trabalhadores.
    Ufa até que em fim uma eleição ganha á partida.
    JOJORATAZANA

  5. D.,H diz:

    Sócrates nem se dá conta da contradição em que cai!

    Por um lado, e como já vem sendo hábito, diz que a CGTP é instrumentalizada pelos partidos, e por via disso também as 200.000 pessoas que se deslocaram a Lisboa.
    Por outro, tem a “distinta honra” de ir encerrar a conferência sindical da UGT, tecendo loas à “liberdade” do “seu” sindicato e mandando recados de conveniência.

    A política não se deve imiscuir no sindicalismo, disse ele!
    ( É um bikini às bolinhas amarelas…)

  6. pcarvalho diz:

    É muito grave estar a gozar com a inteligência dos portugueses.Está-se a dar ao respeito?

    Quanto a insultos:
    Santana Lopes estás perdoado…!

  7. rms diz:

    O nosso primeiro perdeu a noção do ridículo.

  8. Paulo Ribeiro diz:

    o amigo ramos-da-rádio e os seus compadres estão, digamos, ligeiramente azedos e confusos. uma coisa é falar às claras e de peito aberto. do género: estou e estamos aqui e todos sabem para quê! outra, digamos, diferente, muito diferente, é não dizer ao que se vem e por quem se é, quando sabemos que se é e por quem se é, oh! claro que sabemos camaradas! é que, caros camaradas, existe toda uma sorte de gente na inter… que sabe o que por lá se passa e não fica nada, mesmo nada, contente. por outro lado, qual é o problema? acaso os camaradas não repararam que se estava num evento da tendência socialista da UGT. então os camaradas queriam o PM a falar para socialistas e eles a desatarem aos urros contra o PS. queriam, talvez, bom… que não houvesse tendências, direito a elas. assim tudo a modos como… na coréia do norte… por exemplo. é só um exemplo… de país livre… como os camaradas gostam.

Os comentários estão fechados.