É do meu browser, ou já só se vai à Pastoral Portuguesa por convite?

Jantou bacalhau com grão na companhia de uma dúzia de eleitos e acabou fotografado. Contra todas as expectativas, Rogério Casanova parece-se com Rogério Casanova: os comensais, que postaram a foto por tudo o que é sítio, descrevem-no como “mistura do homem da Regisconta com o Pedro Miguel Ramos”. Tudo bem, é lixado ser comparado com o Pedro Miguel Ramos; mas era preciso fechar o blogue?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a É do meu browser, ou já só se vai à Pastoral Portuguesa por convite?

  1. Paulo G diz:

    Faz sentido, o conteúdo do blog publicado em livro, com esta publicidade toda, quem quiser lê-lo vai ter de comprá-lo.
    1.500 exemplares serão insuficientes ou excessivos para o discurso do prendado rapaz?

  2. Nuno Ramos de Almeida diz:

    A mim disseram-me, de fonte segura, que ele é a Morgada. A parte do Pedro Miguel Ramos é que me parece muito intelectual

  3. Morgada de V. diz:

    (Não percebo nada, então eu não era o António Figueira?) Sei de fonte segura que o Pedro Miguel Ramos é o ghostwriter da Pastoral Portuguesa, o homem da Regisconta é só para ficar bem na foto.

    Paulo, espero que ele venda 150 mil exemplares e se torne na nova Margarida Rebelo Pinto, mas que reabra o blogue, porra!
    A boa notícia é que o google guarda a Pastoral Portuguesa em cache: a entrevista ao James Joyce, o post invisível, a queguítiga televisiva ao Equadogue, é só saber procurar – basta, por exemplo, escrever no google uma frase curta de que se lembrem, tipo “É inevitável: sempre que leio na imprensa portuguesa um artigo apocalíptico sobre o estado do ensino, lembro-me da minha professora de Físico-Química no 7º ano (do que não me lembro é do nome dela, mas quando me lembrar vocês serão os primeiros a saber) que deixou uma turma inteira estarrecida quando nos informou muito casualmente que, no futuro, os seres humanos seriam capazes de manter relações sexuais apenas com o encostar de um dedo indicador à testa do parceiro. (Isto numa altura em que muitos de nós ainda não estávamos familiarizados com o método canónico)”, et voilà, abre-te Sésamo, Bob’s your uncle.

  4. Alvarito diz:

    Gosto desta.Aponto tambe9m a auseancia de futuros geadnrs hits como Amor Submerso e Lisboa Eterna Descoberta (que tal reutilizar a letra desta num fado? ate9 tem a palavra e tudo).

Os comentários estão fechados.