Maioria Não, Absoluta Nunca

Com o aproximar das eleições legislativas começa o discurso recorrente da necessidade da maioria absoluta. PS e PSD, dependendo de quem está melhor colocado, inicia a gritaria sobre os perigos da instabilidade política, da crise, da ingovernabilidade…
Os patrões e outros mandatários da alta finança dão uma ajuda anunciando o caos se, ora PS ora PSD, não conseguirem a absoluta, pois as suas negociatas são bem mais fáceis de tratar com um único interlocutor. Nada de novo.
O que me parece novo, é este sentido de sobranceria e impunidade que leva um partido com maioria absoluta a chumbar, sozinho, propostas que mais tarde transformará em bandeiras da sua campanha. Aconteceu isto com o casamento de pessoas do mesmo sexo e, quer-me parecer que sucederá, com as taxas moderadoras na saúde.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

Uma resposta a Maioria Não, Absoluta Nunca

  1. Maioria Absoluta só com o ASSilva a PM. ( O homem parece perceber de Poder. De saber fazer Bom uso do Poder.) … sou dada a visionismos: neste moment se O Marcelo Rebelo de Sousa avançasse como salvador da Pátria, o efeito emocional colectivo daria a maioria aboluta ao PSD sem pestanejar … N sei pq é que eles estão como que belas adormecidas ou a fazer vénias à princesa errada.

Os comentários estão fechados.