O feedback do silêncio

NOTAS DE MÚSICA APRESENTA: K K NULL
capa_thisk_31170x1721

Prepare-se o fiel ouvinte para sintonizar o seu aparelho auditivo no canal mais frio e sinuoso do seu subconsciente e descobrir os desencontros de frequências que já estão presentes no nosso cérebro mesmo antes de as conseguirmos ouvir.

K K NULL traz-nos neste seu registo o que poderia ser uma ínfima partícula da actividade sonora produzida por um universo em luta armada pela conquista do desconhecido. Podia ser o som do carbono volátil em ebulição no espaço, o êxtase da antimatéria, combustões ciber-estrelares, guerras gaso-trónicas de causas perdidas, comunicações inter-planetárias, … Tudo isto são texturas densas e carregadas que se desenvolvem no tempo como histórias calcetadas pela ira.

No meio de um cenário hostil de tempestades cósmicas emergem ameaçadoramente silhuetas de beats mergulhados em distorção (um elemento permanente de todo este registo), que se desfazem como espuma num horizonte líquido e abstracto.

A mensagem não é clara, mas também não é difícil de entender, até porque a percepção das coisas nem sempre é nítida ou matemática, mas acontece.

A caixa de ferramentas do japonês Kazuyuki Kishino está repleta de armas acutilantes como o ruído e a poeira cósmica, e é a manipulação clínica mas ao mesmo tempo selvagem deste elementos que dá corpo a esta assustadora massa sonora sintética, que tem uma espécie de memória orgânica.

KOSMO INCOGNITA traz-nos um momento musical feito de paisagens sujas e ambientes desfragmentados, tonificados pelo terror silencioso que se esconde por detrás de um grito mudo, mas particularmente incómodo. Atinge-nos como o anunciar de uma morte lenta, fatia a fatia, com o fio da dor a assobiar ao ouvido da vítima indefesa.

É como uma visita guiada a uma cidade perdida algures na desordem dos tempos, onde ninguém nos ama e onde as paredes claustrofóbicas cortam o vazio dos homens com um suspiro de metal cirúrgico.

É assim que soa a nulidade das coisas – uma manifestação cáustica dos elementos que compõem a vida… A isto é que chamo o feedback do silêncio, e é um prazer deixá-lo ouvir-se.

Concluindo: KOSMO INCOGNITA é um registo no mínimo inquietante, para os ouvidos que ousam compreender a linguagem do universo.

http://thisco.net/kknullcd.htm
http://www.myspace.com/00kknull

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a O feedback do silêncio

  1. Carlos Vidal diz:

    Parece-me muito curioso.
    Vou informar-me na amazon e, eventualmente, tratar de adquirir.
    Texto interessante. Venham mais propostas.

  2. Já estive aqui ontem. N deixei comment … andei a remoer nesses sons ( lá pelo myspace) … cuja o compacto intenso se me torna incomodo talvez porque a minha “bolha” é mesmo o silêncio purgado y filtrado y refinado de todos os sons.
    O teu texto é belíssimo y encorpa o devido sentido à aventura de nos propormos a aceitar as possibilidades dos sons, sonoridades etc’s, para além a melhor ádiva: a voz humana.

    PS.: Deixo o link se quiseres passar pelo meu agora espaço alternativo http://parentalidades.com/2009/03/corpo-de-arvore-1/

  3. Catarina diz:

    Obrigada De puta madre. Mas é disso mesmo que se trata, de uma aventura. Densa e quase impenetrável mas mesmo assim inspiradora.
    Vamos coleccionando experiências…

Os comentários estão fechados.