Elogio da irredutibilidade total

Faço meu o certeiro statement de André Levy, também já perfilhado pelo Tiago Saraiva: NEM UM VOTO DA ESQUERDA PARA O PS! Ou seja, da esquerda ou de qualquer sensibilidade que de lá se desenvolva. Já o disse e redigo: prefiro uma cisão irreparável no PS (a da ala esquerda, que de lá desapareça), que ligue essa “dissidência” ao conjunto dos votos BE e PCP, e tudo isso com o PSD no governo (!), do que um governo PS com a esquerda parada à espera não sei de quê … PREFIRO O PSD NO GOVERNO COM UMA ESQUERDA EM EBULIÇÃO do que um governo PS com a esquerda adormecida! E digo mais, louvo um slogan ainda melhor que todos estes, o do meu amigo almajecta: NEM UM SÓ VOTO DA DIREITA E / OU ESQUERDA NO PS!!! Esta declaração ainda é mais justa, estou certo disso. E para o provar aqui vão as duas mais conhecidas fotos do grande Robert Mitchum, no “Night of the Hunter” (Laughton, 1955). Ao PS, concluindo, não devemos destinar nem ódio nem amor. Devemos destinar combate implacável. O Carnaval deles vai ser este fim-de-semana, e o almajecta, sempre atento, tem razão: nem um só voto no PS, venha ele de onde vier! Eis o Mitchum, aprendam:

mitch1

mitch2

CONCLUSÃO: este post é a minha mensagem para o Congresso da coisa este fim-de-semana. De lá apenas espero com grande expectativa um discurso: o do TINO de Rans!…………………….. Por favor, avisem-me quando começar.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a Elogio da irredutibilidade total

  1. perdoem-me a futilidade mas quando vi a referência ao Robert Mitchum não resisti. uma vez encontrei-o por mero acaso numa terreola francesa numa festa onde tinha entrado à pendura (soube mais tarde que se tratava do festival de cinema policial). Estava com um copo na mão e pressenti uma figura grande ao meu lado. Comecei pelos sapatos, pernas e fui por aí acima. Quando cheguei ao topo reconheci-o. Era mesmo ele! Acho que deixei cair o copo. Quanto ao assunto do post, era o quê?

  2. Carlos Vidal,

    Subscrevo. E espero pelo dia que alguém pergunte ao PM sobre o maior de todos os riscos que a europa corre:
    http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/02/europa-de-leste-reforco-da-uniao-ou.html

  3. A extrema esquerda vai continuar a sofrer de um mal… nunca quer ser poder.

    Quer ser sempre o contra poder, para manter a aure de pureza à sua volta.

    Mas o estranho é alguem de esquerda que perfere a direita no poder. Claro que esse alguém de esquerda, só pode ser de uma esquerda muito exótica. Mas é interessante essa “coerencia”, perferir a direita no poder.

    De certeza que perferiria o Hitler no poder do que o PS, ou será antes o Estaline?

  4. Carlos Vidal diz:

    ana cristina leonardo, o assunto do post é um apelo para não se dar nem a mão esquerda nem a direita ao PS.

    Caro Ricardo Ferreira, preferia o Estaline, claro.

  5. carlos, eu tinha percebido, como nunca votei no Sócrates estou à vontade

  6. manuela diz:

    Reformulando

    Vota à esquerda ou vota à direita, não votes no PS, dizem os profs.

  7. Preferir o Estaline ao PS revela bem a consciencia democrata da pessoa em questão.

    Pelo menos em Portugal não existem gulag’s.

    Olhe, eu discordo de sí, mas não me queira mandar para um desses campos…

  8. Carlos Vidal diz:

    Eu sei bem que percebeu ana, mas brincar com aquelas mãos do Mitchum, repetir a brincadeira aplicada ao PS, dá-me sempre gozo.

    Ricardo Ferreira, outra vez?
    Fui claro não fui? Prefiro Estaline. Não é o seu caso, mas o gulag é o lugar adequado para reeducar muita gente que conheço (e você também conhece – trata-se certamente de pessoas diferentes das minhas, mas cada um de nós tem uma listinha).

  9. oh pá, o estaline? queres ver que tenho que ler o post?!

  10. Carlos Vidal diz:

    Não é preciso, ana. E isto é especialmente para si.
    Diga lá que não é engenhoso! Dizia o «Pai dos Povos» em 1929:
    «A luta contra a social-democracia é uma das tarefas fundamentais da Internacional Comunista».
    Tudo bem, nada de especial.
    Mas, o melhor vem a seguir:
    «Mas não chega. Para que a luta contra a social-democracia prossiga com sucesso, é necessário sublinhar a luta contra a ala dita de “esquerda” da social-democracia, contra esta mesma ala “esquerda” que, jogando com frases de “esquerda” e enganando habilmente o mundo do trabalho, trava o abandono da social-democracia por este último». Ora bem, tem ou não isto uma grande actualidade?
    Porque será que dá jeito que certas figuras não abandonem o Partido Socialista?
    Etc (que se faz tarde, e amanhã continuamos).

  11. CV. Mau Maria … estás a perder-te!!
    Que tal fazer Piquetes às Urnas, como nas aldeias??? Y Ninguém vota!
    N é Abstenção é Impedir que se macaquei a democracia. Pois, nem BE presta neste país. nem já falo nos Gornizáveis…
    Vá. Pensa Nisso.

  12. Como eu o entendo vidal. Fala-se em staline e a malta puxa logo da pistola, pena é que não saiba dar um tiro.
    Mas saiba que se apresenta uma oportunidade histórica única para ressuscitar o koba (ainda que não se vislumbre ninguém à altura). Com a crise que para aqui vai, e a apregoada falência do novo e velho liberalismo, o momento é propício. A esquerda, que, de barriga cheia, há décadas se entretem com os direitos dos hamsters e outros berloques, agora que fome aperta, finalmente tem uma oportunidade para mostrar o que vale e nada como um staline para lhes endireitar a espinha.

  13. É pena é que essa crítica tenha dado no que deu. E que a unidade anti-fascista tenha vindo demasiado tarde, com Blum’s e afins feitos baratas tontas quando já havia pouco a fazer. Bata-se no PS mas não se lhe faça um favor, com boutades deste género…

  14. Pingback: cinco dias » O que aprendi com Estaline

  15. almajecta diz:

    citação por citação já é o segundo livro da teorema que é citado esta semana. Será a próxima?

  16. Pingback: Para Espinho e em força : O País Relativo

  17. lili diz:

    Fale por si, Miguel Dias, deixe que lhe endireitem a espinha a sim num desse gulags que o Carlos Vidal diz que tanta falta fazem.

    Vade retro Satanás.

  18. Pingback: Ora aqui está a solução do problema que nos aflige, que resolvido nos colocará perante outros bem mais importantes | Aventar

Os comentários estão fechados.