Desfazendo um pouco a onda oscarizante

Aprecio muito Sean Penn, por exemplo. Muito como actor (parabéns!) e igualmente as suas posições políticas numa sonsa Hollywood, onde glamour, sonsice, inutilidade e indústria se misturam com cinema (quando há por lá cinema, o que não acontece assim muitas vezes). De qualquer forma, não sendo fã das orcarices, não posso deixar de me congratular que o melhor de todos (John Ford, John Ford, John Ford!, como dizia Orson Welles) conseguiu ao londo de décadas cerca de quinze nomeações e levou para casa quatro ou cinco óscares, entre melhor realização e melhor filme, não me recordo ao certo certo. Mas este ano também destacaria que a minha favorita acabou por ganhar, e disso eu gostei.

kate

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Desfazendo um pouco a onda oscarizante

  1. Nunca viste o “Jamon. Jamon.”, senão percebias o Emocional envolvendo a vizinha. Foi um momento de Fiesta.

Os comentários estão fechados.