Cegueira quilométrica

Quando alguém descobrir que determinado figurão comprou uma casa no início dos anos 90 por seis mil contos (limite máximo na época para não pagar sisa) e que milagrosamente a vendeu por mais de 30 mil contos passado pouco tempo, que justificação vão encontrar? Que folhetos vão inventar? Que milagrosa mudança no mercado imobiliário vão recriar?

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Cegueira quilométrica

  1. Luis Moreira diz:

    talvez as pessoas comecem a perceber que as “comissões” não se pagam em malas de dinheiro ou transferências bancárias.Pagam-se em espécie e em bons lugares de administração a ganhar milhares de contos sem nada fazer e sem nada saber!

  2. Paulo Ribeiro diz:

    Meu caro,

    tenho ouvido com inusitada atenção as suas crónicas na rádio que decidiu dar-lhe guarida. não que diga, no seu português ruim, algo válido a bem da verdade em geral e da pátria em especial. apenas porque, debita tão depressa tanto radical e livre pensamento que dá gosto. dá gosto existirem pessoas dispostas ao gosto de lhe dar um espaço para que vexa com gosto polemize contra um 1/4 do mundo que não é o seu. ali está o meu amigo a vociferar estulta e sectária conversa e, presumo, a espumar da boca. e, como vê, resulta!
    mas já agora. é propriatário do seu quintal por compra? se sim, fez crédito ou pagou na hora? ou seja, vive no mesmo mundo em que o português vive ou, por ventura, é um okupa!?

  3. Paulo Ribeiro diz:

    hghl

Os comentários estão fechados.