Se um cardeal alucinado lhe falar na “família tradicional”, pergunte-lhe pelo Jacó

No livro do Genesis, encontramos uma linda e educativa história de amor, procriação e fidelidade. Uma história acerca de um homem que se vê casado com duas irmãs em simultâneo e usa escravas sexuais para ter filhos; tudo com a bênção de um Deus então menos preocupado em montar baias à volta os seus fiéis. O arranjinho correu tão bem que o bom do Jacó acabou por ter 12 filhos e uma filha. A dúzia de varões deu origem às 12 tribos de Israel, prova de que na base da querida civilização judeo-cristã está afinal um modelo bem “alternativo” de família.
Se os eunucos do Vaticano tivessem dedicado um décimo da energia hoje gasta a combater a busca de felicidade de alguns na prevenção do abuso de crianças por padres pedófilos, aí sim, teriam feito uma santa obra. Pensando bem, já bastaria se deixassem de proteger de forma escandalosa e aberrante os monstros que criaram.
O mesmo vale, claro, para as bacoradas totalmente irrelevantes, ignorantes e preconceituosas sobre o mal que faz às crianças serem educadas por um casal do mesmo sexo. Deus nos livre e guarde desta malta.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Se um cardeal alucinado lhe falar na “família tradicional”, pergunte-lhe pelo Jacó

  1. N te apoquentes, LR. Já ninguém liga mto aos religiosos. É mais uma coisa estética para enpiriquitar casórios e coisas do género. Um pertexto para sair de casa, lá na aldeia. Pouco mais do que isso.

  2. Chamar áqueles senhores vestidos de batina ignorantes é pouco. Na minha opinião, esse senhores e as alarvidades que dizem, sim, são uma autêntica aberração da natureza.

  3. Luis Moreira diz:

    Este(o discurso do Cardeal) é o maior exemplo de uma ideia que é brilhantemente analisada num filme soberbo.”A Dúvida”!(em cartaz) A virtude mata a tolerância ! É à sombra deste conceito que a religião (não só a Católica,mas tambem) tem cometido os maiores crimes contra a humanidade.E, já agora, é tambem com esta formulação que as ditaduras se auto impõem .

Os comentários estão fechados.