A Carris nas lonas

bus

Andam por Lisboa autocarros de passageiros com pneus assim. Nem interessa congeminar o que nos aconteceria se um agente da autoridade detectasse um tal espectáculo nos nossos automóveis. Mais elucidativo é antever o rosto compungido do porta-voz ou do administrador a perorar, após mais um acidente bizarro, acerca de inspecções  atempadas e de escrupuloso cumprimento da lei.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a A Carris nas lonas

  1. João diz:

    E esta semana, pelo menos na Infante Don Henrique, têm andadado bem rápido e com bom serviço.
    Infelizmente acho que as suspensões de alguns estarão pior que os pneus (são uma lástima aqueles modernos Mercedes que fazem a carreira 22, decerto feitos para estradas alemãs , que rebaixam para a gente sair, por exemplo. Eu nisto prefiro os man e os volvo)

    se um agente da autoridade detectasse um tal espectáculo nos nossos automóveis.
    “Nossos”? Os meus são os da Carris . . .

  2. Carlos Fernandes diz:

    Conclusão: é preciso meter a Carris nos eixos (isto é, nos carris)…
    Se fosse só a Carris a precisar, mas se calhar é todo o país…

    O endividamento externo do país já vai em n milhões de milhões (já descontando aqueles milhões que foram tirados ao bolo para pagar luvas), essa é que é essa…

  3. Filipe Abrantes diz:

    “Nem interessa congeminar o que nos aconteceria se um agente da autoridade detectasse um tal espectáculo nos nossos automóveis.”

    Pois. Seriamos maltratados e olhados como criminosos em potência (já me aconteceu). E multados sem perdão, claro está.

    Há semanas assaltaram-me o carro. Fiquei sem documentos, entre outras coisas. Por só andar com uma cópia dos novos documentos (tendo os novos em casa), fui multado há dias, sem perdão. Já sabia que pertencia ao Estado, mas é sempre desagradável quando mo relembram na prática.

  4. O Filipe Abrantes deixa documentos importantes dentro do carro, é asaltado e depois a culpa é do Estado. Boa.

  5. Filipe Abrantes diz:

    A polícia viu as fotocópias de todos os documentos quando me controlou. Viu também os selos e disse que estava tudo em ordem. Só me multou por não ter os originais no carro. Sem qualquer má fé, pensei que podia guardar os originais em casa, isso é motivo para ser multado? Isso é justo?

    Onde está a má fé aqui? Não estará na burocracia?

    Já agora, para obter os docs todos de novo, perdi um dia de trabalho. Para o Filipe Moura a culpa disto é minha e não do Estado. Boa.

  6. Filipe Abrantes diz:

    Já sei que a sua esquerda gosta muito da polícia e da burocracia, é escusado argumentarmos mais. A má fé e a imoralidade são irrelevantes para alguns.

  7. Hermínio gouveia diz:

    A polícia, neste caso a autoridade, só fez o que lhe competia. O sr. Filipe Abrantes tem de compreender que as pessoas são julgadas como um todo e não pelas aparências. Isso da boa ou má fé, foi no tempo dos Fenícios

Os comentários estão fechados.