Portugal, um país progressista?

Viver num país onde as mulheres não são condenadas (legal ou moralmente) pela prática do aborto, seja qual for a opinião que se tem sobre o acto em si?; viver num país em que o casamento entre pessoas do mesmo sexo é permitido?; viver num país em que esses mesmo casais podem adoptar crianças que, ao invés, ficarão a podrecer em lares e instituições?; viver num país em que a eutanásia é um direito de todos?
Esse sim, seria um país progressista. E desenvolvido. E no qual teria orgulho de viver. Lá chegaremos. Devagar, devagarinho, mas lá chegaremos.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a Portugal, um país progressista?

  1. Viver na Coreia do Norte era mais traumático, não era?

  2. mas ricardo, tenha cuidado, porque estas suas palavras certamente que vão despertar azia em certas mentalidades. é cá um feeling…

  3. Luis Rainha diz:

    A bem da verdade, diria que um país desenvolvido seria aquele sem aborto, sem miséria, sem ignorância endémica e sem crianças a “apodrecer” onde quer que fosse. Falta tanto a Portugal para ser essa terra onde dá orgulho viver…
    E, já agora, esqueceste-te dos charritos livres!

  4. Pois… Mas não será nas próximas gerações.

  5. Ricardo Santos Pinto diz:

    É verdade, Luís, esqueci-me das drogas leves. Claro que só seríamos um país desenvolvido, o resto, a parte social, não fosse o que é hoje.

  6. Um Portugal progressista? Daqui a quantas gerações?
    Numa altura em que muitos destes temas já são encarados com toda a ligeireza na Europa e em boa parte do mundo civilizado, Portugal começa a discuti-los como se estivessemos a falar de coisas de outro mundo.

Os comentários estão fechados.