Mais um…

Do «Correio do Minho»:

«Um professor de Inglês foi agredido, ontem ao final da tarde quando saia o portão da EB2,3 Dr. Francisco Sanches, alegadamente, pelo tio de um aluno do 5º ano que tinha sido expluso da aula por estar a fazer barulho.
A vítima foi socorrida e transportada pelos Bombeiros Voluntários de Braga para o Hospital de S. Marcos por volta das 19 horas. Depois de receber tratamento hospitalar às várias escoriações na face e na cabeça, o professor recebeu alta perto das 21 horas.
“Estava no conselho pedagógico quando fui confrontado com alguns colegas preocupados porque o tio de um aluno tinha entrado na escola, ameaçado fisicamente e insultado tudo e todos com nomes impróprios”, começou por contar ao ‘Correio do Minho’ o presidente do conselho executivo da escola, Jorge Amado.
O tio acabou por sair daquele estabelecimento de ensino, mas quando o professor chegou ao portão para se ir embora foi, alegadamente, surpreendido pelo tio do rapaz. “Empurrou o professor e esmurrou-o violentamente na cara e na cabeça. Ficou com sangue a sair pela boca, pelo nariz e pelos ouvidos”, disse, ainda visivelmente transtornado, o responsável. E atirou: “Esta atitude foi premeditada, não foi um acto espontâneo. Ele esperou pelo professor à porta e depois de lhe bater foi embora de carro como se nada tivesse acontecido. O professor nem teve tempo de reagir”.

Estou em crer que terá sido apenas (mais) uma brincadeirinha de crianças. Um mero caso isolado…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Mais um…

  1. Esta frase é um lugar-comum reacionário bem sei, mas no meu tempo se fosse expulso da aula, chegava a casa e ainda levava por cima. E não me fez mal nenhum.

  2. teresa diz:

    A culpa de quem é? Se as pessoas o que podem ver é que as pessoas querem resolver os problemas aos insultos chamando nomes a ministros e com cartazes de lulus e sinistras. e apupos. Os tios acham-se no direito de insultar toda a gente. É a vida. Já não há respeito.

  3. teresa diz:

    A culpa de quem é? Se as pessoas o que podem ver é que as pessoas querem resolver os problemas aos insultos chamando nomes a ministros e com cartazes de lulus e sinistras. e apupos. Os tios acham-se no direito de insultar toda a gente. É a vida. Já não há respeito.

  4. A demagogia, meu caro, está-te no sangue. Repara que nem sequer estou a contestar se há ou não professores que são sistematicamente agredidos pelos alunos nas escolas. Mas um gajo lê este teu post que cita um exemplo seguido de uma ironia trôpega e, de repente, dá-me ganas de acreditar que, de facto, este é um caso isolado. Podias fazer o mesmo com uma notícia tipo «Sócio do Benfica estufou os filhos e serviu-os aos amigos como petisco» para depois rematar e dizer: Estou em crer que terá sido apenas (mais) uma brincadeirinha dos sócios do Benfica. Uma mero caso isolado…

  5. Zé António diz:

    Tudo isto é uma provocação torpe! Pensam que não se percebe aquela do tio?
    E se for mesmo tio, aquilo é uma travessura que não tem importância nenhuma

  6. Ricardo Santos Pinto diz:

    Caro João Pedro, então não se vê que é um caso isolado? No ano lectivo anterior, ocorreram mais de 130 agressões a professores. E isto que se saiba, porque muitas são silenciadas. Mas todos eles, estou em crer, foram casos isolados.
    Já agora, não vejo onde está a demagogia.

  7. José Gajeiro diz:

    Isto é apenas uma montagem do professor que fingiu ter sido agredido, com a conivência dos colegas!
    Faz tudo parte da campanha negra!
    Uma urdidura, como já foi a incriminação de várias pessoas do PS, na Casa Pia, a invenção de que Sócrates apresentou mais que um diploma de curso de engenharia, as acusações ao Professor Doutor Morais, as luvas do Freeport…

  8. Proponho, em teoria, claro,que ao senhor “dos casos isolados” haja alguém que lhe pregue com uns valentes murros à saída do emprego, se o tiver, que é para o 5dias, aqui poder fazer mais uma demagógica afirmação, à falta de matéria para o blog.

Os comentários estão fechados.