A farsa: J Sócrates quer parecer um homem de esquerda


“MAMAN”, de LOUISE BOURGEOIS (em Paris).
-redução de deduções fiscais do IRS para os “ricos”
– a igreja católica “comprou” uma guerra ao PS/Sócrates por causa dos casamentos homossexuais (que o mesmo PS chumbou no parlamento)

ADENDA (23:49): «Como trunfo eleitoral, na mouche!», escreve Vital Moreira, sobre a primeira proposta. SEM COMENTÁRIOS, digo eu.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 respostas a A farsa: J Sócrates quer parecer um homem de esquerda

  1. xatoo diz:

    Esta imagem é actual? tem piada; vi esta escultura em Havana, no largo ao fim da calle Neptuno, vai para dois anos.
    Que fixe! Parece que o regime anticapitalista e anti-imperialista de Fidel se colocou avantgard em relação a Paris,
    pelo menos no que respeita a aranhas, agora que se perfila no horizonte a adesão à Nato pelo actual regime pró-Sionista francês

  2. LAM diz:

    Travestiu-se de Hugo Chavez agora que as eleições estão aí. Não tarda muito temos o ASS a propor a sua reeleição até ao ano 2044.

  3. No debate de hoje foi-lhe perguntado por uma deputada dos verdes porque é que ele espera para implementar a primeira medida, ao que ele respondeu que primeiro os portugueses tinha de validar esta promessa após as eleições. Se a medida em si é de uma demagogia a toda a prova, a resposta é genial : não decido porque primeiro quero saber o que os portugueses pensam.
    A segunda é simplesmente hipócrita. É preciso topete. Prometer para ano o que se recusou há um mês. Extraordinárias são também as vozes (o vidal sabe de quem estou a falar), que se levantam indignadas com a posição da igreja católica, primeiro porque esta não disse nada, agora porque começa a espernear. Caladinhas no entanto, quanto à imposição da disciplina de voto, que inviabilizou o projecto do BE.
    Ponha-se a pau vidal que o homem virou mesmo à esquerda, desafogando o meu flanco.

  4. almajecta diz:

    maman carlos, maman aquela dose mortal no campo de batalha com o Enver Hoxa do ISCTE, um lixo de luxo, ora bem.

  5. pipilocas diz:

    só espero que a teia de sócrates seja limpa pelas mulheres e homens-a-dias (leia-se povo) deste país.

  6. pipilocas diz:

    só espero que a teia de sócrates seja limpa pelas mulheres e homens-a-dias (leia-se povo) deste país.

  7. chumbou e agora num acto de modernidade prepara-se para aprovar.

  8. Ante o que se passou esta tarde no Parlamento, a pergunta que se impõe é a seguinte:
    -Até quando vai o País aguentar uma coisa destas?
    Ou, por outras palavras:
    -Como é que podemos continuar a permitir na chefia do Governo alguém que manifestamente não está bem?

  9. Luis Moreira diz:

    O Sócrates vai deduzir no IRS a massa que meteu no BPN e no BPP? É que são os mesmos!

  10. Carlos Vidal diz:

    Como diria a Bourgeois, os tipos “maman”, nós vemos e as sondagens (o que não interessa nada, mas até se calhar interessa alguma coisa) dão-lhe vitória folgada. Alegre está calado, o partido dito socialista vai de vento em popa, apesar do flanco blogosférico deles ser obtuso que nem uma porta.
    Veremos, mas que o homem é “moderno”, é.
    Indigno aquilo que o miguel aqui refere (mas aquela agremiação socratista há muito que deixou de ter classificação, para mim): aplicar a redução das deduções fiscais só depois das eleições, uma promessa, portanto.

  11. almajecta diz:

    moderno e modernísta, muito pela sofistaría o nosso cardeal patriarca, e tu especialista em cristianismo primitivo a papar p’la mão da maman doutrinas mundanas, carnais e horrorosas.

  12. almajecta diz:

    Este também está triunfal e atentativamente a passar-se.

  13. Não me leve a mal, mas a sua obsessão anti-José Socrates começa a parecer inquietantemente doentia, e está a vulgarizar a sua veia artística.

  14. Carlos Vidal diz:

    Ó Grande Alma, esse, que tu dizes (não digo quem), deve estar a passar-se para o abismo, Deus (nos) ouça.

    M. Loureiro, a arte liga-se à doença, e não estou a brincar com palavras: a arte é uma doença do real, ou uma doença «de» real (também não é uma doença qualquer, é apenas uma finalidade sem fim, como diz o outro, o filósofo de Konigsberg).

  15. almajecta diz:

    O astro malígno da adenda das 23:49 sem perdão nem remissão.
    Falta dilucidar aí ao grande vice-rei do norte que arquitectura de qualidade ou sem ela, não é arte, por vias da finalidade, e do tal espacito racional a habitar e habitado. A parte da engenharia é ciência e tecnologia e o resto é beleza aderente incluindo os truques e ideais à priori tipo essencialismus etc e tal.

  16. Ó alma, você que costuma estar tão bem, ainda que grande parte das vezes não se perceba pevide (será vc um canalha como diria o seu amigo breton?). Com que então arquitectura não é arte, por via da finalidade? Mero ornamentação a cobrir cimento e tijolo? Se me vir na rua, fuja, que sou capaz de lhe atirar com uma viga agá 220.

  17. almajecta diz:

    tem Dias caro Miguel, isto do destinado à noyer le poisson bate-me amiúde na confusão hexagonal da indiferença á notoriedade post moderna. Tenho reparado nessa viga bem como no contraplacado marítimo com seu verniz, o pano, o plano, a luz zenital e tal, tudo muito sem escala, proporção nem dimensão que se veja. Aquela ideia do anti monumental muito humano, demasiado humano a redundar em rodriguinho do portugal dos anões. Vidé nova estação ferroviária do Cais do Sodré.
    Ainda não cheguei á parte do Ícaro, mas os livros cá de casa sobre o assunto têm escrito na capa: Arte e Arquitectura. Prometo arrancá-las para não ofender o amigo.

  18. Não me ofende, deixe lá os livros em paz que ficam muito bem na estante. Já agora como os organiza, analiticamente (temas e ordem alfabética), ou esteticamente (cores, tamanhos e formatos)?
    É que nunca me consigo decidir se ponho os livros de história de arte no agá, no à de arte, no à de arquitectura ou no é de escultura.
    Outra pergunta, se não o maço. Você ainda é do tempo em que havia nas Belas Artes uma coisa chamada conjugação das três artes? Eu não por isso, o amigo é capaz de ter razão, atendendo aos dias que correm, arquitectura foi, mas já não é.
    Quanto ao contraplacado com verniz ja não uso. O meu verniz estala muito e parto logo para ameaças tão descabidas como inconsequentes. Que o digam os meus clientes (os dois que me restam).
    Quanto aquilo do canalha, foi o breton, não fui eu.
    (não há nada como atirar a pedra e esconder a mão).

  19. almajecta diz:

    Por quem sois. É um prazer, já foi tempo de decisões, já foi. Desenhar? nem no Chiado, ou na Ajuda, quanto mais no Porto.
    Sou muito pelo jardim há! Inglesa conjugando os tempos como sei e posso graças a Deus.
    As facilidades de pesquisa documental dependentes do grau de tratamento descrito ou referênciado está aqui segundo a Classificação Decimal Universal de 0 a 9, desportos, divertimentos e arte vai tudo pró 7.
    Aborrecido o tipo de Konigsberg, vivia num apartamento mais na agremiação sem ter tempo para saír à rua para comer bifes.

  20. almajecta diz:

    vai também um beijo aqui da Ana Plácida.

Os comentários estão fechados.