Much Ado About Nothing

Tanto tempo perdido com negações inflamadas, acusações difusas, buscas, cartas rogatórias, manchetes, taquicardias nos nossos bravos magistrados. Tanta agitação para nada. Afinal, era tão fácil resolver o “caso” Freeport: bastava perguntar ao suposto corruptor se tinha mesmo corrompido. Já que o seu porta-voz em Portugal garante que não e o suposto corrupto também nega tudo, o caso está resolvido. Porque se terá alguma vez a polícia britânica interessado por semelhante disparate? Who cares?! Porque haverá tanto nevoeiro e tanta figura embuçada em redor desta fossa? Coincidências. Parem lá com o chavascal, que já foi tudo bem explicado.

Este artigo foi publicado em cinco dias, Nuno Ramos de Almeida. Bookmark o permalink.

7 respostas a Much Ado About Nothing

  1. teresa diz:

    As notícias é que dizem que os Carlyle é que tinham detectado a falta de 4 milhões. Agora dizem que não falta nada. As notícias de um dia são o desmentido do dia seguinte. São doidos não há nada a fazer.

  2. Na pátria do mercado sem regras, o famoso pacote de estímulos de Obama reuniu as condições de aprovação pelo Senado. Uma vitória para todos os que abominam esta crise. Análise em:
    http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/02/longa-noite-do-plano-de-estimulos-no.html

  3. socialista envergonhado diz:

    É evidente que o alegado corruptor (até porque em Portugal é sempre ele que “paga” as favas…) nega. Só que, neste caso o alegado corruptor é, actualmente, nada mais nada menos que o grupo Carlyle, lançado pelo senhor Carlucci para “saquear” os países onde a família Bush e outros “altos” funcionários tem interesses…. A fama deste grupo, como se ficou a ver pelo “saque” que fizeram no Iraque está pelas “ruas da amargura” e as palavras dos seus representantes (os mesmos da Euroamer do Albarran) não merecem credibilidade. Basta ler a imprensa americana…

  4. Carlos diz:

    Novo método para resolver crimes de corrupção:é simples, pergunta-se (com educação) aos possíveis corruptores se corromperam e aos pssíveis corrompidos, se foram corrompidos.
    Não tem nada que saber, é simples e dá milhões.
    Parabéns à prima.

  5. Nem Mais. O Socras mostra as contas bancárias que não deve, n teme! Né) y ponto Final. Os ingleses vão para a terra deles y a gente cá fica.

  6. Carlos Fernandes diz:

    Nem mais, como diz aqui acima a DPMadre. Claro que eles estão é à espera que daqui a duas semanas este assunto esteja esquecido…

  7. Camelo no buraco da agulha? diz:

    Boas… agora, toca a engolir tudo o que foi vomitado e a imdemnizar os que foram linchados.

    O problema é esse: o camelo recusa-se a passar no buraco da agulha!

    E com razão, pelos vistos?

    Portanto, são os ricos que se salvam neste reino (e os pobres no outro).

Os comentários estão fechados.