A melhor amiga do medíocre: a “campanha”

manchanegra
Tem sido um recurso habitual dos incapazes e dos desesperados. Nas mãos de um artista como Paulo Portas, a “campanha” é solução multiusos: da pouca-vergonha das resmas de fotocópias ao despautério do “Jacinto Leite”, tudo resulta de ocultas manobras contra o impoluto paladino, sempre dentibus albis, do PP. Com Santana Lopes, a manobra ganha tons de alegre farsa, no meio de rábulas sobre incubadoras e pais aflitos. Em casos mais bizarros como Luís Filipe Menezes, a ideia parece ser mais causar pena do que a simples calimerice, corriqueira para os lados do PCP. O pior é que a coisa ainda promete dividendos: o soba do Funchal anda há anos a apontar o dedo sapudo aos cubanos colonizadores, para alegria das hostes votantes.
Agora, José Sócrates é mais um a preferir a histeria das acusações vagas e sem destinatário ao sereno esclarecimento de mais um manhoso imbróglio. Seria mesmo preciso invocar aquelas patetices de opereta das “perfídias” e das “campanhas negras”? Mas quem será que lhe escreve semelhantes inanidades? Porque não declarar simplesmente a confiança nas instituições próprias, afivelar um sorriso impante e deixar-se de vitimizações teatrais que estão por cá tão gastas que nem no Parque Mayer convencem os palonços?
Ainda por cima, nos bastidores desta cabala anda um corrupio de IC19 em hora de ponta: da imprensa aos crápulas dos ingleses, passando pelos inimigos de umas invisíveis reformas, desembocando agora no melodrama das “forças ocultas”. Expliquem-nos, ao menos, quem é que anda a querer dar cabo do nosso primeiro-ministro; só falta mesmo a maçonaria ou a opus dei para compor de vez o rol de improváveis suspeitos.

PS: propositadamente, não mencionei outras célebres vítimas de “campanhas”, como Avelino, F. Felgueiras, Isaltino ou Valentim. Apesar de tudo, ainda quero manter a esperança de que a companhia perfeita para Sócrates não seja mesmo a dos parlapatões de terceira. Gostaria é de lhe ver real vontade de esclarecer, em vez desta fuga para o reino da fantasia…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a A melhor amiga do medíocre: a “campanha”

  1. Carlos Vidal diz:

    Quem diz a maçonaria e a opus dei, diz a Mossad, a CIA ou ou serviços secretos do Kazaquistão.
    Estamos todos lixados.

  2. Luis Moreira diz:

    Nisto estou de acordo consigo, há muita fortuna muito mal explicada.Mas o que nós vimos é que o Estado e os grandes negócios andam de mão dada, podemos esperar o quê? Que os processos vejam a luz do dia ,quando são os interessados que exercem o poder? Muda-se a Lei a pedido!

  3. Realmente…
    O que dizer: em 1998 a mãe do Socras vende a sua casa em Cascais y compra a pronto um andar no mesmo prédio do filho… eh eh ehe Epá: se é que há admiração no facto é mesmo o Socras n largar a saiada mãe, né?
    Bem. Espero que as grandes notícias sobre o caso n sejam deste diminuto aparvalhamento da realidade.

  4. Epá! Eu a dar-lhe: O Carlyli não é amiguísssssssssssimo do Burrrrrrrrrrrrrroso y afinys? Pois. Curiooooooooooooooooso… cho que vocês estão a ser mais megalomanos nos conspiradores que o Socras … 😉

  5. M. Abrantes diz:

    Longe vai o tempo em que Sócrates parecia ter classe. Agora já só lhe resta não ter barriga e ficar bem de fato. Como primeiro-ministro revelou-se um retumbante fiasco.

  6. Já Agora: rebusquem lá no vosso Imaginário … que terra é essa Alcochete???

    Pois. Se por acaso O Socrates recebeu dinheiro pela viabilização do Projecto, digamos que é impagável, ou está muito mal pago o facto de terem ordenado a retirada p. exemplo do HOTEL do empreendimento. Y não é por perturbação aos passarinho, claro, né. É mesmo por ser um disparate comercial. Uma idiotice profunda y ruinosa. Só mesmo uns Idiotas y Ingleses, com veia apurada para a imbecilidade incluiriam um HOTEL. Que é que Paga esse acto ( Altamete altruístico) ao Socras??? Pois. É impagável. Perguntem a qq ser da margem sul o sentido de existir um Hotel naquele Lugar… RISOTA PEGADA. UAU! o imaginário Inglês é mesmo divertido.
    É! É mesmo Issso andou o Homem a salvaguardar que aquele negócio fosse o menos ruinoso possível para aqueles idiotas dos investidores Ingleses y RECEBE agora este Embrulho. Epá. Esta Estória è ridícula. Por Favor não desempenhemos o Papel de Uma Sociedade Civil Ridícula, ao ponto de todos andarem a fazer análises todas pinocas- por tudo quanto é sítio – que não nos fica bem dar seriedade, tanta seriedade a esta papa ridícula y disparatada y bronca. Investir a mente em assuntos DIGNOS está na Hora!

Os comentários estão fechados.