As intenções obscuras da Polícia inglesa

br
Ficámos a saber pela conferência de imprensa de J Sócrates (e eu não consigo ver um discurso do citado, nem uma sua participação pública até ao fim, por razões ligadas à minha integridade física) que:
– Já não é a primeira vez que ele é sujeito a esta campanha de insídias (logo, o homem é perseguido pelos ingleses desde há pelo menos 4 anos)
– Que, num momento da conferência, ele parece sugerir que não há nenhuma carta inglesa («como é que sabe?», pergunta ao jornalista)
– Mas que, afinal, existe carta, só que vem legitimada por uma denúncia anónima (logo, em Inglaterra, o reformador J Sócrates tem inimigos desde há muito, repito – até porque é lá que se desenrolarão as próximas legislativas portuguesas; e é prática inglesa trabalhar a partir de insídias anónimas)
– Que a Polícia inglesa tem intenções obscuras nesta investigação e funciona à base da calúnia sobre pessoas honestas, e não recua no seu obscurantismo nem perante primeiros-ministros de outros estados
– Não vi, contudo, se algum jornalista perguntou a J Sócrates o que é que a Rainha de Inglaterra e a sua Polícia terão contra ele para lhe lançarem esta campanha destrutiva e qual a relação entre a Casa Real britânica e o PCP, o BE e o PSD (mas todos sabemos que essas relações são claríssimas)
– Algum jornalista lhe perguntou porque é que Inglaterra persegue o homem de forma tão acirrada?
– Quem não sabe, deveria saber: a Polícia inglesa controla os media portugueses e condiciona as notícias que estes devem veicular – a OPA da Polícia inglesa sobre os jornais portugueses está consumada. Estes são INGLESES!!
CONCLUSÃO: olhando para o homem da fotografia, está tudo dito!
Quem não percebe isto, olhe outra vez!
VEJA-SE A IMAGEM DESTES POLÍCIAS: SEM VERGONHA, A INSÍDIA É A SUA DIVISA PRINCIPAL (está na lapela do homem da foto)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

38 Responses to As intenções obscuras da Polícia inglesa

  1. Pingback: Fique por dentro Polícia » Blog Archive » cinco dias » As intenções obscuras da Polícia inglesa

Os comentários estão fechados.