DECO defende encerramento da Mansão de Marvila

A Mansão de Marvila é uma instituição que acolhe idosos, cidadãos com deficiências e crianças e jovens em risco. Em 2004 (governo de Santana Lopes) o Ministro Fernando Negrão, aprovou a passagem da gestão deste equipamentos sociais do Estado para a Fundação D. Pedro IV. Santana Lopes na CML, um ano antes, já lhe havia entregue os Bairros dos Lóios e Amendoeiras recentemente retirados, por proposta do PCP, e decisão unânime da Assembleia da República.
Esta Fundação tem uma história particularmente nebulosa desde o acto da sua constituição, a um relatório da inspecção da Segurança Social que propõe a sua extinção e a qualifica como uma “holding imobiliária” e o seu posterior “arquivamento” no Ministério de Paulo Pedroso, a presença da sinistra Joaquina Madeira (actual presidente da Casa Pia) representante do Estado na instituição durante uma década e que sempre apoiou a Fundação, e tantos outros silêncios e eventuais favorecimentos por esclarecer de diferentes poderes do bloco central.
Mas as queixas e denúncias que envolvem a Mansão de Marvila não são novas. Em 2006, um artigo do JN, denunciava a falta de pessoal, pouca comida servida aos adolescentes e falta de condições das instalações. Em 2007, o presidente da Junta de Freguesia de Marvila, dizia ter conhecimento de maus tratos e que os idosos eram obrigados a realizar os trabalhos domésticos para os quais já não se encontravam disponíveis.
Pela blogosfera circulam outras denúncias preocupantes e graves, de alegados familiares e utentes do lar.
A opinião da DECO é apenas mais uma na denúncia para o rol.
Será desta que a “Fundação Intocável” será investigada?

Ver “Fundação Intocável” – Documentário da RTP1

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a DECO defende encerramento da Mansão de Marvila

  1. Pingback: Sentido de Estado? Claro, mas só quando toca a pagar os prejuizos que dos seus rapazes | cinco dias

Os comentários estão fechados.