Aldrabice ou matreirice sem vergonha (pior, muito pior, mas a democracia não permite classificar tudo)?

jsoc4jsoc41jsoc42jsoc43jsoc44jsoc45jsoc46

Vale a pena ler isto no Profavaliação :
O governo de J. Sócrates “elogiou-se” ontém a propósito de um relatório muitíssimo “favorável” da OCDE sobre as reformas do ensino em Portugal nos últimos quatro anos. Ora acontece que esta mentira é uma mentira muito bem (mal) pregada. Parece que não há mesmo relatório nenhum da OCDE (nem eu esperaria outra coisa !).
O governo faz referência a um estudo encomendado pelo próprio governo e que teve por base, ou por campo de trabalho e recolha de dados, 7 municípios portugueses: 6 do PS (!!!!!!) e um outro de quem? O do MAJOR, nem mais (Bravo!).

chicago1
(Judy Chicago)

ADENDA: Vale a pena citar um comentador de um blogue chamado “País Relativo” (não linko):
Joao Cardoso, 27 Janeiro 2009, 2:54  – A OCDE produziu? Engraçado, mas no preâmbulo do relatório lê-se:
“Neste contexto, o Ministério da Educação solicitou o presente relatório a uma equipa de peritos internacionais independentes, liderada pelo Prof. Peter Matthews. A avaliação que realizaram em Portugal segue de perto a metodologia e abordagem que a OCDE tem utilizado para avaliar as políticas educativas em muitos países-membros ao longo dos anos.”
Não sei qual foi o orçamento da solicitação. E claro que é elogioso…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Aldrabice ou matreirice sem vergonha (pior, muito pior, mas a democracia não permite classificar tudo)?

  1. miguel dias diz:

    Li o Sumário de Avaliação e Recomendações do referido relatório.
    http://www.min-edu.pt/np3content/?newsId=3170&fileName=bilingue_GEPE_portugues_final.pdf
    No essencial, não apresentando nenhuma novidade, propõe um conjunto de medidas razoáveis relativamente consensuais e que, aliás já estão a ser postas em prática. Trata-se apesar de tudo de um documento meritório, escrito numa linguagem acessível e não no dialecto indígena do eduquês, com propostas bastante acertadas e que revelam bom senso.
    Agora é ou não provincianismo recorrer a especialistas estrangeiros para fazer um relatório escorreito, por forma a dar-lhe maior credibilidade? E como se não bastasse tentar por-lhe o carimbo da OCDE.

  2. nuno castro diz:

    Desculpem? Ou tá tudo maluco ou tá tudo parvo; ou é vontade de achincalhar como diz o BB?

    Então desde quando é que os relatórios de auditorias não são encomendados pelos próprios auditados? Desde quando é que uma empresa quando é auditada pelas Deloits que por aí andam não é a seu mando e vontade? Desde quando é que quando a OCDE faz estudos não são a pedido de estados, da comissão europeia ou de outros organismos internacionais? Queres ver que a OCDE faz estudos pro bono?

    Há limites para a porcalhisse – e eles colidem com a lógica mais elementar. Não há pachorra para tudo; e esta é uma delas que não tem ponta por onde se pegue.

    Mais uma vez, é um bocado o processo de intenções que lhe moveram, Carlos – discutam os resultados do estudo. Isso sim, valeria a pena.

  3. Ricardo Santos Pinto diz:

    A realidade de Gondomar, conheço-a eu de bem perto graças a ligações familiares. Aulas leccionadas na cantina, no átrio dos WC, na Biblioteca com três turmas ao mesmo tempo, etc.; manuais que, no fim de Janeiro, ainda não chegaram; e muitas outras maravilhas. Se calhar vou dedicar um «post» ao assunto.

  4. J diz:

    Vale mesmo a pena fazer uma pesquisa no google:

    Relatório da OCDE elogia politica de Educação do Governo PS

    ver-se-á a versão actual da noticia no site do PS e clickando em cache o que ficou no google da outra versão

  5. Pingback: Afinal…. « BLASFÉMIAS

  6. Carlos Vidal diz:

    Ricardo, seria importante, claro, conhecer-se a realidade de Gondomar, essa terra de “electrodomésticos”. Exemplar, pelos vistos, no capítulo da educação.

Os comentários estão fechados.