small details

Gibraltar. Caimão.

Isto de se ocultarem negócios pouco recomendáveis através de transferências financeiras entre estes offshore é muito giro.

Mas é uma chatice se, tratando-se de territórios do outremer britânico, suceder uma investigação britânica.

Para a próxima, melhor Vanuatu.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a small details

  1. Nuno Ramos de Almeida diz:

    É uma pena o BPN não ser uma investigação Britânica. E infelizmente nem todas as offshores são aquelas…

  2. mas é curioso que até nesta história se refere uma conta do BPN nas Caimão. este banco está em todas. cada vez melhor se entendem os riscos sistémicos.

  3. Luis Moreira diz:

    Mas o que impressioma é que as off-shores são legais! Como é isto possível em sistemas democráticos, abrir a porta à aldrabice? É como dar a chave do cofre ao bandido!

  4. Nuno diz:

    Obama prometeu no passado encerrar as off-shores americanas e pressionar o R.U. a fazer o mesmo.
    É provavelmente a maior revolução económica que poderá fazer no seu mandato (e também a mais linear)- um mundo em que as empresas sediadas em off-shores pagam impostos. Alguém consegue conceber?
    Quantas carecas a descoberto- desde Bono Vox a Exxon Mobil?

    Atrevo-me a sonhar com este “paraíso”…

Os comentários estão fechados.