Chineses criam uma potência em Angola

Em 10 anos, passaram de pouco mais de 200 pessoas para as 40 mil actuais. É a população chinesa, na esmagadora maioria homens, que ajuda a fazer crescer Angola. São explorados, vivem em guetos e fazem dinheiro, muito dinheiro, para os bolsos de alguns (muito poucos). É um trabalho escravo que está a transformar Angola numa verdadeira potência e que é relatada pela jornalista Mariana Van Zeller, que tem a sorte de não trabalhar em Portugal e de poder fazer isto: um documentário sobre a vida chinesa em Angola.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.