A ignorância também enjoa

kinggeorgeiii

Quando não permite distinguir uma simbólica proclamação tradicional, um mero ritus civitas da república com significado histórico desde os founding fathers (which merely recognize the historical fact that our nation was believed to have been founded “under God” – como não se cansa de recordar o Supremo Tribunal Norte-Americano, com aspas em “under God”, sempre que tontos do evangelismo ateísta os vêm importunar com estes enjoos), de uma manifestação religiosa (não tarda nada, até recitar o discurso de Lincoln em Gettysburg, é rezar uma missa!).  O Thomas Paine rezava assim:

“(…)That the example which ye have unwisely set, of mingling religion with politics [tás a ouvir ó George?!], may be disavowed and reprobated by every inhabitant of America. (…) The cause of America is in a great measure the cause of all mankind. Where, say some, is the king of America? [Isso querias tu ó George!] I’ll tell you, friend, He reigns above.”

1776*

* Numa obra deste revolucionário apropriadamente intitulada “Common Sense”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a A ignorância também enjoa

  1. miguel dias diz:

    Ora aqui está o que é.
    Há malta que houve falar em Deus e puxa logo da pistola.
    Como se a referência a Deus fosse de facto o aspecto mais relevante do discurso de Obama.

  2. Pacóvio diz:

    e o facto de esta frase under god) ter sido introduzida apenas em 1954 provará ainda mais que era mesmo o que os founding fathers queriam?

  3. Pacóvio,

    a referência a “God” não tem cunho religioso, no sentido de associado a uma religião ou seita em particular. Tem cunho deísta. Vá lá à wikipedia ver deísmo e iluminismo, etc. que eu agora tenho mais o que fazer.

Os comentários estão fechados.