Suspensão dos Concursos Públicos I

O governo não deliberou o alargamento do Carnaval às autarquias e governos regionais, por faltar o parecer das Regiões Autónomas. Aprovarão “o incentivo” no próximo Conselho de Ministros.
Ontem na SIC ouviu-se Moita Flores, Fernando Seara e Apolinário rejubilarem com a medida. Assim já podem fazer escolas para as crianças, recuperar as praças para o povo e fazer lares para os velhinhos… Afinal parece que os Concursos Públicos e, métodos transparentes de escolha, fazem desaparecer o dinheiro e as iniciativas. Só não se fazia obra pública porque havia concursos! Em meios mais reservados deste portugal dos pequeninos, já se diz que as pessoas têm gripe, porque há métodos transparentes de escolha!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Suspensão dos Concursos Públicos I

  1. Selofane diz:

    A este propósito queria deixar o seguinte comentário.
    Quando o governo aprovou medida semelhante para a administração central, pouca gente reparou (não aqui neste blog) e a comunicação social não lhe deu muita importância. O governo alarga a medida às autarquias e logo todos na comunicação social falam em corrupção.
    Será que por definição um presidente de câmara é mais corrupto que um director-geral, um director regional de um ministério, um qualquer presidente da Estradas de Portugal ou da Refer, por exemplo?
    Mas: e os CTT de Horta e Costa, e a JAE dos velhos tempos? E os milhões enterrados na linha do Norte com os comboios a demorarem o mesmo de Lisboa ao Porto?

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Selofane, o “incentivo” para a administração central foi anunciado na tarde de 30 de Dezembro.
    Na minha opinião, quanto mais se alargar pior é.
    De qualquer forma, chamo-lhe a atenção que de acordo com o Código de Contratos Públicos, as empresas públicas já podiam fazer ajustes directos desses valores. Não estando contempladas na lei portuguesa aplica-se a directiva.
    É igualmente chocante.

Os comentários estão fechados.