O melhor dos mundos – 2

O PS conseguiu vencer a batalha no Parlamento, garantindo que a avaliação dos professores não fosse suspensa. Para isso, contou com uma preciosa ajuda de… Manuel Alegre. Pois, o deputado votou ao lado da oposição, mas assegurou que, pelo menos, uma parlamentar do seu pequeno grupo votasse de outra forma para que o Partido Socialista não fosse prejudicado.
Mesmo assim, não se livrou – ele e as outras quatro deputadas – de ouvir este mimo de Augusto Santos Silva:

“A minha opinião dirige-se a todas e todos deputadas que manifestaram a sua opinião. Limito-me a constatar como particularmente reveladora de que o que estava menos em causa aqui era avaliação dos professores que os deputados que o fizeram não hesitaram em votar a favor de um projecto de lei (dos partidos da oposição) que a ser aprovado constituia uma vergonha para o parlamento democrático português”.

A votação ficou assim: 114 contra a suspensão, 113 a favor e uma… abstenção. A amiga, nesta caso, foi Matilde Sousa Franco que optou pela abstenção.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a O melhor dos mundos – 2

  1. Da-se diz:

    A Matilde está quase tão cheché como o Bochechas.

  2. Patricia Costa diz:

    a Matilde Sousa Franco não é militante do PS.

  3. Manuel da Mata diz:

    Há sempre alguém: desta vez, foi Matilde; aqui há anos, quando se votou um projecto sobre a interrupção voluntária da gravidez, foi o de Matos Leitão, das Aranhas, Penamacor.

  4. Emídio Fernando diz:

    Tem razão, Patrícia. A deputada Matilde Sousa Franco não é militante do PS. Mas é curioso que a vejo sempre na bancada do PS, a votar ao lado dos socialistas, a participar nas jornadas parlamentares do PS, a aparecer nos jantares e almços do PS e foi eleita numa lista do PS. Estranho, não? Ou será que a deputada ainda anda à procura de um caminho, no final da legislatura? E há, na AR, deputados não-inscritos: um era do CDS, a outra era do PCP.

Os comentários estão fechados.