Entrevista ao Primeiro Ministro


Vi a entrevista com intermitências. Para além da irritação, arrogância e simpatia por Alegre de José Sócrates, não me pareceu que houvesse nada de relevante.
Depois continuei a ver a SIC Notícias e os seus comentadores, e aí fiquei a saber melhor o que ouvi. A abrir Bettencourt Resendes enquadrou-me dizendo que o Primeiro Ministro tinha estado muito bem. A grande novidade, parece, foi a possibilidade de eleições antecipadas. Na palavra dos comentadores, José Sócrates, enunciou a possibilidade da Assembleia da República ser dissolvida em Junho, para as eleições legislativas serem no mesmo dia que as Europeias – não percebo as vantagens para Sócrates a menos que o 2º semestre do ano ainda se preveja pior que o 1º e não percebo as vantagens para Cavaco, as vantagens para os portugueses ninguém me pareceu muito interessado em discuti-las, portanto julgo que não estarão em cima da mesa.
Por último, da discussão entre comentadores, gerou-se um “interessante” debate se os portugueses teriam “maturidade” para votar no mesmo dia para eleições diferentes… “Maturidade” diziam eles! Na sequência veio a pérola de José Manuel Fernandes. Ficámos todos a saber que nas eleições autárquicas em que Santana foi eleito para presidir aos destinos da capital, o PS tinha ganho a Assembleia Municipal! Só não consigo explicar é que, tendo o PS ganho esta eleição, por que é que foi João Amaral (PCP) e, depois do seu falecimento Modesto Navarro (PCP), que presidiram à referida Assembleia.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

12 respostas a Entrevista ao Primeiro Ministro

  1. Carlos Vidal diz:

    Lamento confessar, mas não sou capaz de ouvir este indivíduo mais do que dois minutos. O discurso está ao nível da mais inferior capacidade argumentativa e pensante de que já fui espectador. Agradeço que me façam resumos, leio jornais. Ouvir a personagem, impossível.

  2. rms diz:

    Então e aquela pérola do Bettencourt Resendes sobre o investimento a longo prazo não merece uma referenciazinha???

  3. rms diz:

    Então e aquela pérola do Bettencourt Resendes sobre o investimento a longo prazo não merece uma referenciazinha???

  4. Saloio diz:

    Não se apoquente, Sr. Carlos Vidal, porque não houve “entrevista” nenhuma.

    Houve apenas hora e meia de campanha eleitoral, promovida pelo Dr. Balsemão a troco de publicidade paga pelo erário público, e tendo por animador aquele rapaz Costa, irmão do outro Costa, apenas o melhor amigo do próprio propagandista.

    Em resumo: apenas mais do mesmo, …está a ver?

    Digo eu…

  5. Tiago Mota Saraiva viu a entrevista com intermitências e recorreu aos jornalistas para a entender melhor. Carlos Vidal, seu comentador, que talvez a tenha visto durante menos de dois minutos, prefere depois ler o que vão dizer os jornais. (Afinal, onde está a arrogância?). Eu que a vi na íntegra, não fiquei deslumbrado, mas dava-lhe nota positiva. Mas eu não tenho a superior capacidade pensante nem de Tiago Mota Saraiva nem de Carlos Vidal.

  6. Só não consigo explicar é que, tendo o PS ganho esta eleição, por que é que foi João Amaral (PCP) e, depois do seu falecimento Modesto Navarro (PCP), que presidiram à referida Assembleia.

    -O primeiro por ser o cabeça de lista da coligação vencedora à eleição da A.M., o segundo porque no âmbito do acordo pré-eleitoral que concedia ao PS a liderança do executivo, o lugar de presidente da A.M. estava destinado ao PCP.

  7. Su diz:

    O que ouvi foi Sócrates rejeitar liminarmente que as legislativas e as autárquicas coincidissem e não eliminar por completo a possibilidade de o fazer com as europeias (o que sim, só poderá acontecer dissolvendo-se a assembleia, mas esse facto não chegou a ser discutido durante a entrevista). A competir em arrogância com Sócrates achei o Ricardo Costa, as costas quentes dão-lhe para isto.
    O debate entre os comentadores teve momentos caricatos, com afirmações como a autoestrada de bragança só vai beneficiar 50.000 pessoas e que o importante era terminar a CRIL para beneficiar 2 milhões, cuja resposta foi “então vamos esvaziar o corvo e as flores e trazer as pessoas para lisboa por lá não são viáveis”… muito me ri com a paródia.
    Quanto à maturidade dos votantes, talvez achem que os portugueses andaram para trás, porque já se votou em simultâneo as europeias antes.
    Preocupante acho a pouca audiência que a entrevista teve. Não sei onde é que o pessoal anda com a cabeça para as novelas serem mais importantes…

  8. O paternalismo realmente é uma coisa tramada! Maturidade?!

  9. Da-se diz:

    Esse Bettencourt é o fim da macacada. No estilo múmia paralítica, claro.
    Só o Balsemão poderia pagar como comentador a uma nulidade sem obra.
    Chiça, perdão, da-se!

  10. GL diz:

    “O debate entre os comentadores teve momentos caricatos, com afirmações como a autoestrada de bragança só vai beneficiar 50.000 pessoas e que o importante era terminar a CRIL para beneficiar 2 milhões,”

    Que filha da putice. Desculpem, mas não há outro termo para uma colocação dessas.

  11. Tiago Mota Saraiva diz:

    “pérola do Bettencourt Resendes sobre o investimento a longo prazo não merece uma referenciazinha?”
    rms, recorde-nos, por favor.

    M. Loureiro, não sei que texto é que leu. A apreciação que faço da entrevista é relativa às partes que vi acha que teria sido diferente se não a tivesse visto com intermitências? E pode estar descansado que não recorro aos comentadores para perceber melhor, conforme se percebe pelo texto.

    António de Almeida, pois foi.

    Su, o alheamento da política só beneficia os que lá estão. É preocupante como dizes.

  12. rms diz:

    Sobre os investimentos a longo prazo:

    “Os investimentos a 75 anos não me preocupam, ‘a longo prazo estamos todos mortos’, já dizia Keynes” Bettencourt Resendes.

    Uns minutos depois, quando José Manuel Fernandes disse que preferia o fecho da CRIL à auto-estrada até Bragança, o mesmo Bettencourt Resendes:

    “Bem, isso é de uma tremenda insensibilidade social”.

    Há coisas fantásticas, não há?

Os comentários estão fechados.