IGESPAR, IGESPOU ou IGESPARIA?

A notícia de capa do Expresso declarando que um terço do património da UNESCO em Portugal ameaça derrocada é mais uma prova da inexistência do IGESPAR (que há mais de anos que mudou de nome e ainda nem se quer se deu ao trabalho de tratar do site de internet). A prática de nomear boys sem critério e, ainda que haja bons quadros na sua estrutura, liquida qualquer organismo público.
Ao IGESPAR primeiro fundiram-no e depois…

Este artigo foi publicado em cinco dias, Nuno Ramos de Almeida and tagged . Bookmark the permalink.

5 Responses to IGESPAR, IGESPOU ou IGESPARIA?

Os comentários estão fechados.