As maravilhas das «Novas Oportunidades»


Todos nós conhecemos algumas das maravilhas do programa «Novas Oportunidades». Gente que, mesmo sem saber escrever, ficou com o 6.º Ano; gente que tinha a 4.ª Classe incompleta e que, em três meses, ficou com o 9.º Ano; gente que tinha o 6.º Ano e que, em seis meses remunerados, ficou com o 12.º.
Agora vem a público o caso de Pedro Póvoa, atleta olímpico de taekwondo que tinha o 9.º Ano e que, num semestre, concluiu o Secundário. Ao abrigo do Estatuto de Atleta de Alta Competição, vai agora entrar no curso de Medicina da Uiversidade do Minho. Hesitou entre Psicologia e Gestão, mas acabou por preferir a Medicina.
Apetece-me parafrasear Manuel António Pina numa das suas últimas crónicas no «Jornal de Notícias»: «Um dia destes, juntamente com um anestesista também “simplex”, estará a operar o leitor num hospital público, os dois cheios de curiosidade sobre o que haverá dentro de uma barriga.»

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

17 respostas a As maravilhas das «Novas Oportunidades»

  1. ana diz:

    Mas, só mesmo um licenciado em engenharia a um domingo a “inventar” umas novas oportunidades assim. O homem é mas é um democrata. Até já estou a ver o novo slogan: Se eu consegui, você também consegue!

  2. Ana diz:

    E não querem os professores ser avaliados! Sim, porque não é o Governo que dá os certificados….

  3. Efeito Placebo, de sabedoria placebo … onde já andaram a vende isso …? Pois. Coisas das injecções de auto-es-ti-(g)-ma moderna.

  4. Margarida diz:

    Nada indica que um estudante brilhante no ensino secundário será um melhor médico que este atleta! Até aposto que as competências sociais estarão mais desenvolvidas neste jovem do que na maioria dos meninos estudiosos!
    Aborrece-me pensar que esta história das Novas Oportunidades serve para melhorar uma estatística nacional, para preencher papéis e orgulhos perante a UE! Mas alegra-me muito ver amigos e familiares empolgados com um desafio que estabelece um reencontro com as suas competências!
    Uma coisa é certa, creio que só melhorará cidadãos (muito, pouco ou nada, isso já será com cada um)…
    Cumprimentos

  5. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Acho a curiosidade é um sentimento muito bonito. Espero que quando fecharem a barriga ao “utente” não sobrem peças.

  6. Se assim for, não fará pior que todos os médicos condenados por homicídio por negligência. Esses condenados, que entraram na FM com média de 18 mas que não tinham vocação nem queriam saber das pessoas. Este ao menos tem vocação e um sorriso.

  7. Carlos Vidal diz:

    Ó Ricardo, e a próxima travessia do Tejo desenhada pelo engenheiro civil primeiro-ministro, que tal ?

  8. Carlos Fonseca diz:

    Assim, o governo alcança o objectivo de encurtar as listas de espera de cirurgias. Terá, em contrapartida, de incrementar as infra-estruturas mortuárias. Portugal terá, então, a melhor cobertura de m2 de morgue por cidadão – da UE, e talvez de todo o mundo.
    Silva Pereira ou Santos Silva, um deles ou os dois, encarregar-se-ão de publicitar com estrondo mais esta proeza governativa.

  9. Antónimo diz:

    A qualidade define-se à saída e não à entrada!

  10. ana diz:

    Oh Carlos, os engenheiros têm especialidades. É assim, mal comparado, com os pintores que não fazem esculturas, nem os escultores que não desenham casas, nem os arquitectos que não fazem fotografia. Fizeram todos Belas Artes….e o seu comentário foi aquilo que se chama…sei lá…parvo?

  11. ana diz:

    É o problema dos coitados que apenas se podem agarrar a uma licenciatura porque não sabem fazer mais nada na vida. Anos e anos de cultura livresca de uns poucos, no meio do analfabetismo da maioria…e há os licenciados ainda não perceberam que já não estão em terra de cegos.

  12. alice diz:

    Em Fevereiro eu já tinha alertado para esse perigoso «Psico-Ensino»

  13. Pingback: Leituras « O Insurgente

  14. Raul Pinto diz:

    Sente-se aqui e ali um sentimentozinho invejoso de alguns que à base de anos e anos a marrar tiraram um curso superior, quase obrigados por uma sociedade e sem talento nem inspiração para isso.

  15. Rui Pedro diz:

    Da mesma forma que chateia-me o facto de esta acção ser pensada em alterar números estatísticos, chateia-me também ver o “pedantismo” daqueles que sentem terem sido obrigados a estudar, não aceitar, de nariz empinado, que possam existir…oportunidades. Tenho 36 anos e tenho o 8º ano. Isso não me impediu de tirar um curso de Análise Técnica de Mercados Financeiros em NY (e fui dos primeiros formadores em Portugal), uma carreira de 20 anos de pianista e ainda me dei ao “luxo” de aprender a programar em php e bd de mysql. Contudo tenho o 8º ano e se ficar desempregado nem para varredor posso ir…é justo eu nao ser avaliado por tudo o que fiz? Não me parece.

  16. Nuno Silva diz:

    Meus caros …Dado eu estar aqui a ver o sempre revoltado bom povo Português a reclamar, porque uns são filhos da mãe e os outros não podem ser…. ora tirem-me lá esta dúvida então meus amigos.
    Qual a diferença entre dois Médicos? um foi para universidade através dos maiores de 23 e outro através de exame nacional, ambos terminam o seu curso, mestrado etc; por qual deles preferiam ser tratados?? por exemplo se tivessem uma dor de cotovelo…

  17. Pingback: As maravilhas das «Novas Oportunidades» |

Os comentários estão fechados.