Margarida e o Mestre

A citação, do Fausto de Goethe, com que começa Margarida e o Mestre do Bulgakov é um aviso: para aquelas forças que sempre quiseram o mal e sempre fizeram o bem. O Diabo, o seu criado e um gato gordo visitam a União Soviética do início dos anos 30 (?) , aproveitam-se daquilo que Baudelaire já tinha reparado, “que o maior triunfo do Diabo é convencer-nos da sua inexistência” e passeiam no país dos sovietes. Para eles toda a mentira e hipocrisia são transparentes e conseguem ver para além do chavão as realidades disfarçadas pela propaganda. Pode ver na integra a série russa sobre o livro, legendada em inglês.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.