Perdida no tempo mas não na memória

Aqui vai uma homenagem a Bettie Page, pioneira em tudo, que faleceu ontém. Sem idade.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 respostas a Perdida no tempo mas não na memória

  1. teofilo m. diz:

    Olhar para estas fotografias e comparar com o lixo que por aí anda, quase as eleva à categoria de arte.

  2. Carlos Vidal diz:

    Comparado com isto, o tosco do Araki é “liga dos últimos”.

  3. António Figueira diz:

    Nunca consegui perceber como é que há tantos obcecados da Marilyn com a Betty Page mesmo ao lado.

  4. Carlos Vidal diz:

    Completamente de acordo, António !! Claro.

  5. Almajecta diz:

    Hectómetros e hectómetros de pelicula filme, ou, quando a fotografia e o cinema são arte. Imagens de muita qualidade, interessantes e funcionais.
    Finalmente a acção.
    Liberdade ou Morte.

  6. Luis Moreira diz:

    Bela homenagem ! E sem depressões!

  7. Almajecta diz:

    Dura inquietação da alma e da vida,
    Fonte de desamparos e adultérios,
    Sagaz consumidora conhecida
    De fazendas, de reinos e de impérios!
    Chamam-te illustre, chamam-te subida,
    Senão dina de infames vitupérios;
    Chamam-te fama e gloriosa soberana,
    Nomes com quem se o povo nescio engana!

    e agora em hermeneuse para que não restem dúvidas.

    Ó ambição, de atroz inquietação da alma, e da vida, fonte (origem), de desamparos (orfandades, viuvez) e de adultérios, astuta e conhecida devastadora de haveres, de reinos e de impérios! E, sendo tu isto, chamam-te insigne, quando és digna de censuras infamantes; chamam-te soberana fama e glória, nomes com os quais se engana o povo ignorante.
    Lusíadas, Canto IV, XCVI.

  8. GL diz:

    “Nunca consegui perceber como é que há tantos obcecados da Marilyn com a Betty Page mesmo ao lado.”

    Marylin era loira.

  9. Carlos Vidal diz:

    Ó ambição, atroz inquietação da alma, ó vida e fonte, como eu gostava de viver com esta Bettie numa ilha só de amores ………..
    Bravo, almajecta, Camões e Bernardim acompanhar-nos-ão.

  10. Almajecta diz:

    Só poderei ter isso depois de morto, Que se lixe a carne viva; ela fica com o cadáver.
    Perdoa-me se tocar tua geada / Excede a visão do Paraíso!
    A Isabella de Keats humedece com suas lágrimas a cabeça decepada da sua amante, sacerdotisa de cultos mistéricos ( encanto transfigurador e tal ), qual vizinha devoradora.

  11. Pingback: Tráfico de Influências | 13.12.2008 | : fractura.net!

Os comentários estão fechados.