Sinais dos estranhos tempos

Seguindo o exemplo dos CEOs de Detroit – que foram pedinchar dinheiro a Washington montados em carros híbridos –, Vítor Constâncio até já se imagina a aceitar uma redução no seu salário. O governador do banco central que classifica o subsídio de desemprego como “generoso” não tem jactos privados para vender; mas pode ser que o vejamos em breve a chegar de bicicleta à AR, onde explicará a surpreendente eficiência com que tem andado a tomar conta do sector bancário nos últimos anos.
No ranking destes funcionários públicos milionários, Constâncio vê-se atrás apenas do seu homólogo italiano e de Joseph Yam, boss da autoridade monetária de Hong Kong. Ou seja: para encontrar quem ultrapasse as prebendas do nosso socialista, nada como procurar num país comunista…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.