Eu vou/Eu vou/Apagar o incêndio eu vou

“Bombeiros em tribunal por cantarem música da Branca de Neve

Um capitão da GNR pôs em tribunal mais de duas dezenas de responsáveis das associações de bombeiros da região de Coimbra por cantarem a música de Branca de Neve e os Sete Anões no rescaldo de um incêndio.

No total, estão constituídos arguidos 24 elementos dos bombeiros, entre comandantes e membros da direcção de corporações, por cantarem uma música infantil no rescaldo de um incêndio, escreve o 24 horas com base numa notícia do Diário de Coimbra.

O capitão da GNR apresentou queixa e quis levar os bombeiros a tribunal após uma troca de palavras.

Numa outra situação, ocorrida em 2006, o mesmo capitão terá perguntado a um bombeiro de Penacova onde estava o seu comandante, ao que este disse desconhecer.

Após uma semana, durante uma acção sobre fogos florestais, o agente da GNR afirmou que «da próxima vez, identificaria os bombeiros e intentaria processos disciplinares e processos-crime» contra os mesmos.

A Federação de Bombeiros já lamentou os incidentes e solicitou ao Ministro da Administração Interna um inquérito.”

Sol

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a Eu vou/Eu vou/Apagar o incêndio eu vou

  1. Carlos Fernandes diz:

    È mau, além dos incendios em si, ver as relações pessoais e profissionais incendiadas (embora se fosse envenenadas era pior)…
    Nada como uma boa chuva para arreferecer os animos…

  2. Ricardo Santos Pinto diz:

    É o que dá andar a ver o «Boston Legal» em demasia.

  3. pisca diz:

    Se queres conhecer o Vilão, mete-lhe o pau na mão

    Diz o Povo e é verdade

  4. Su diz:

    Is this for real?!?!
    ó meuz amigoz, não havia nexexidade, ezz ezz…

  5. “A Federação de Bombeiros já lamentou os incidentes”
    Hã? Como? Quê?

  6. Saloio diz:

    Contado assim, sem contexto ou outras circunstâncias, parece que o GNR não estará bem de saúde mental. Como muitos colegas seus, aliás…

    Contudo, se a sua queixa procedeu para acusação do Ministério Público, então a conversa será outra. Terá havido sustento legal para tal, após análise das entidades judiciais próprias.

    Não sabemos.

    Caso a acusação do GNR tenha sido despropositada e sem fundamento, sempre os soldados da paz poderiam accioná-lo judicialmente “de volta”, através de queixa-crime contra ele por denúncia caluniosa.

    Entretanto, claro que a simpatia geral corre pelos bombeiros, além de que todos gostamos da canção dos anões.

    Digo eu…

  7. Sentido de humor tem limites … Parece …
    Enfim …
    ( N fiquei chicada! …)

Os comentários estão fechados.