Post extraviado: “Uma no cravo, outra na ferradura”

Manuel Alegre votou, na Assembleia da República, contra o Código de Trabalho. Mas garantiu que não haverias danos para a bancada do PS. Contas feitas, um voto contra de Manuel Alegre e de mais quatro deputados, com aconteceu, poderia ser um grande risco. Bastava que todos os deputados dos partidos da oposição estivessem presentes – coisa, aliás, impossível de acontecer – para que a proposta do Governo morresse. Ainda assim, Manuel Alegre não arriscou: combinou com os outros deputados que votaram contra a viabilização do projecto, utilizando uma táctica simples: se a oposição estivesse toda presente, os outros deputados, melhor deputadas, optariam pela abstenção.
Assim, o deputado socialista e ex-candidato presidencial garantiu o melhor dos mundos: brilhou como gosta e não beliscou o PS e o Governo

Este artigo foi publicado em cinco dias, Emídio Fernando. Bookmark o permalink.

4 respostas a Post extraviado: “Uma no cravo, outra na ferradura”

  1. DR diz:

    não sei porquê, mas tenho a leve sensação de já tger lido este texto noutro blog qualquer…

  2. Xavier Brandão diz:

    Caro Luís Rainha,

    É certo que isto de que fala aconteceu? Se assim é, é insuportável o calculismo, cinismo e hipocrisia dos deputados que assim agiram. Já tenho uma mensagem a dirigir ao Sr. Alegre e Companhia.

  3. Tiago Mota Saraiva diz:

    Não me espanta. É uma acção coerente com o seu passado político.
    A incoerência está quando declama em festivais da esquerda nova.

  4. Alberto diz:

    Porra para o Manel Alegre. Se isto realmente sucedeu, só tenho que dizer: – O Sócrates assume o que faz. O Alegre nem tomates tem para tal. Parafraseando um militar já falecido, direi:
    – Bardamerda para o Alegre!

Os comentários estão fechados.