O primeiro momento dadá no congresso do PCP

Uma “jornalista” da SIC Notícias inquere Odete Santos: «a Coreia do Norte… é um partido socialista?» Resposta inevitável: «não; a Coreia do Norte não tem nada a ver com o Partido Socialista!»

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a O primeiro momento dadá no congresso do PCP

  1. pcarvalho diz:

    É a verdade a que temos direito com os media que temos, nas mãos dos previligiados. O Balsemão,o tal do BPP,o dos riscos e dos lucros, o da defesa dos contribuintes e,que agora vai receber uma pipa de massa dos contribuintes que vão ter direito a menos saúde,menos nível de vida,apara encher os bolsos a esses parasitas que nada produzem a não ser o saque constante da comunidade.Na URSS não havia media dos privados e,era uma ditadura-agora,não há um que defenda os trabalhadores e é uma radiante democracia podre,cheia de corruptos, e a bitadura do PS/D.Liiiiiindo,e estamos a ser roubados à força toda.a real PQP!

  2. a.m. diz:

    Inquere?
    Inquere?
    Tá…

  3. M. Abrantes diz:

    O PCP está morto e deixou os ossos a atravancar o passeio.

  4. Acho que o que o a.m. queria dizer é que se escreve “inquire” em vez de “inquere” mas uma gralha não faz o Outono.

  5. MB diz:

    A pergunta é cretina. Um país é um país e não é um partido. Odete Santos deu uma resposta inteligente, obviamente. E eu não tenho quaisquer simpatias pela Coreia do Norte, assim como nunca tive pelos países ditos socialistas.
    O que chateia esta gentinha toda é a natureza de classe do PCP e o modo como os seus militabtes estão e enquadram todas as lutas. O ódio ao PCP advém da sua permanente disponibilidade para a luta.
    Bem se esforçam por matar o PCP, mas este resiste e resistirá enquanto mantiver a sua natureza de classe.

  6. pisca diz:

    Oh Caro M.Abrantes, você anda fora de moda, já o Silva Pais dizia o mesmo

  7. MB diz:

    Odete Santos tem toda a razão, porque a pergunta é cretina. Um país, bem entendido, não é um partido.
    Eu nunca vi os jornalistas a colarem o CDS e o PPD eo PS a entidades estrangeiras. Em Portugal, raramente se discutem as propostas do PCP, mas há uma apetência por estas ligações, como se o PCP não tivesse uma História de luta, em Portugal e ao lado do povo português.
    O que chateia esta gentinha é o papel que os comunistas e o seu Partido desempenham na sociedade portuguesa. O que chateia é que o PCP luta por causas e por ideais que, esta gentinha, por falta de generosidade, nunca lutará. O PCP está vivo e de pé. Com muitos sacrifícios, certamente.

  8. PDuarte diz:

    tem razão. um país não é um partido. um país é uma entidade.

  9. MB diz:

    Onde é que estão os 8 comentários?

  10. Luis Rainha diz:

    Mas, já agora, “inquerir” também vem referido na Mordebe.

Os comentários estão fechados.