Inanidade à desgarrada

Ouvir António José Seguro e Pedro Passos Coelho na TSF, cada um jurando silêncio nas ofensas aos seus líderes e outras manifestações de bom comportamento cívico, podia ser bonito. O pior é que parecem empenhados num concurso para a produção do discurso mais redondo e mais vazio (Seguro ganha). Não; pior mesmo é estarem a preparar-se para discutir algures “as funções do Estado no século XXI”. E para terem mesmo algo a ver com a definição dessas funções.
Isto só me faz lembrar o desvelo como que Emídio Rangel promoveu a protagonistas televisivos os seus “dois meninos”. O resto é a História que temos de suportar: Sócrates e Santana. Espero que Alguém nos proteja deste remake.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Inanidade à desgarrada

  1. Tiago Mota Saraiva diz:

    São jotas senhor, são jotas.

Os comentários estão fechados.