Teixeira dos Santos é o pior ministro europeu das Finanças no “ranking” do Financial Times

“Teixeira dos Santos é o pior ministro europeu das Finanças no “ranking” do Financial Times”

Não teria dúvidas em escrever que o Ministro das Finanças é um mau ministro. Para dar corpo a esta afirmação nem sequer seria necessário falar nas políticas do governo nesta área e nas suas consequências nefastas para a vida dos portugueses. Bastava-me invocar a incompetência e arrogância demonstrada na rocambolesca apresentação do Orçamento de Estado, fingindo na Assembleia da República que o estava a apresentar e depois não estava ou convidando os jornalistas para um pequeno almoço que depois já não era.
A notícia do Financial Times, pelos seus (deles) motivos, apenas corrobora aquilo que os portugueses já sabem.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

29 respostas a Teixeira dos Santos é o pior ministro europeu das Finanças no “ranking” do Financial Times

  1. Nuno Ramos de Almeida diz:

    O que me impressiona na classificação do FT é que os gajos não conhecem o Pinho. Se dão má nota ao Teixeira dos Santos que nota vão dar aquela alminha?

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Não conhecem o Pinho, a Maria de Lurdes ou o Amado…
    De qualquer forma parece-me que a dificuldade do ranking não está na qualidade, mas sim na quantidade. Eu próprio, pensando no mais autoritário, oscilo entre Sócrates, Maria de Lurdes ou o ex-Campos Correia ou pensando no ministro mais à direita, entre Sócrates, Pinho ou Vieira da Silva… Isto de rankings é uma coisa difícil.

  3. Patricia Costa diz:

    O que ainda é mais triste é constatar que apesar de tudo ainda consegue ser melhor do que uma boa parte dos MF que a precederam

  4. Bjorn Pal diz:

    E o ano passado o mesmo FT classificou-o como um dos 3 melhores

  5. Édobasílio diz:

    Isto é que é felicidade. Só que quem classifica o ministro em 3º em 2007, classifica agora em 19º em 2007. Como para vocês, a sua polítia sempre esteve e estará errad, conclusão: – o classificador não pode demonstrar grande credibilidade.

  6. Sérgio Pinto diz:

    Por acaso, o ano passado, ele foi o 11º (em 12…). No entanto, o Solbes era dos melhores e agora é dos piores, portanto não me parece que o ranking do Financial Times dê para tirar grandes conclusões. O Teixeira dos Santos pode ser (e acho que é) um mau ministro, mas não me parece que seja o ranking do FT a evidenciar seja o que for.

    http://www.ft.com/cms/s/0/7fb024ae-92d2-11dc-ad39-0000779fd2ac.html

  7. ezequiel diz:

    O FT é uma instituição liberal. Q vocês citam, alegremente. É bom ver a esquerda cacatua a validar uma instituição destas.

  8. Tiago Mota Saraiva diz:

    ezequiel, é bom ver que nem se dá ao trabalho de ler o post.

  9. Ricardo Santos Pinto diz:

    Se aquele que é considerado o melhor Ministro deste Governo é considerado o Pior da União Europeia, o que dizer dos outros Ministros? Gostava de ver o que teriam a dizer sobre a «Professora Baldas», perdão, sobre a Ministra da Educação.

  10. ezequiel diz:

    tiago, li o post inteirinho. o “(deles) motivos” bla bla não altera em rigorosamente nada o facto de terem recorrido a esta notável referência do pensamento liberal. A esquerda cacatua a recorrer ao FT. Vocês são mesmo cegos.

  11. ezequiel diz:

    Podem recorrer, por exemplo, ao Zizek ou ao Badiou. Estes dois com toda a certeza corroborarão as vossas pretensões lunáticas com mais algumas…hm uhm,.. pretensões lunáticas! (nada de dados empíricos, fazem mal ao idealismo!) Mas, por favor, não invoquem o “pure multiple”. (que de puro tem muito pouco, mas esta é outra história) Podem confundir o proletariado. LOL 🙂

  12. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Ezequiel,
    Estás indisposto? Tanto insulto e tão pouca argumentação. A tua convicção que a gente recita o Badiou e o Zizek (mais o Agamben segundo o João Pinto e Castro, tens de lhe explicar a diferença entre os três) é encantadora. Só me chateia que aches que não podesmo ler o Financial Times nem o Economist, achas que nos excomungam por isso? Eu cá acho que se deve ler sempre os adversários esclarecidos, mais do que os amigos imbecis… mas são opiniões. Em relação, ao facto, de o Financial Times dizer mal do governo português, eu tb estou chateado com a injustiça, as dezenas de milhares de euros que se gastaram em publicidade no FT exigiam mais simpatia.

  13. isabel diz:

    Agamben, NRA. Já agora, por favor, convidem-me para o próximo recital. Obrigada

  14. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Obrigado, Isabel. Já está corrigido.

  15. Carlos Vidal diz:

    O próximo recital, Isabel é o concerto de Gergiev no Coliseu e está convidada: para ouvir o “Pássaro de Fogo”. Se puder, passe ainda pela Orquestra de Câmara de Basileia, com Marijana Mijanovic, para ouvir obras de Händel (Gulbenkian, 11 / 1). São recomendações 5dias, mas tem de comprar bilhete, desculpe.
    Quanto ao ezequiel, quase sempre tem razão, ou mesmo sempre, mas desta vez nem pensar: o homem das finanças é mesmo mau e a mulher da educação não sei porque é que ainda existe (no governo). E porque é que o ezequiel não tem razão NENHUMA: porque o homem das finanças perde NO SEU PRÓPRIO terreno, o dos liberais. Ficar em último no 5dias era natural, ficar em último no seu próprio campo, é muito grave. É como o Benfica ser sovado em casa pelo Marvila de Ranholas. É perder em casa ezequiel, é perder em casa. Está percebido? Outra vez: um liberal perder num jornal liberal é coisa séria.

  16. Carlos Vidal diz:

    Caro Tiago, o contexto onde o homem trabalha, o das finanças, tb é terrível: não estaremos em presença do mais repugnante governo que nos “governou” desde 74 ?

  17. ezequiel diz:

    Nuno,

    Insultos? Onde?
    Também podes ler e citar a Bíblia, Nuno. Não serás excomungado por causa disso. Aconselho-te a ler o Economist, o FT, o WSJ e a última edição da Playboy. Não te esqueças que estas publicações estão ao serviço das classes dominantes e da mitologia do nefasto capital.

    Qt a isto: “ficar em último no seu próprio campo.” (campo??? Carlos, sinceramente, consideras o actual ministro das contas um liberal clássico ou um neo-lib??)

    Ele não está e nunca esteve no “campo” do FT. Nem mesmo Cavaco pode ser considerado um lib clássico ou um neo-lib. Simples. Poderia inverter a coisa e dizer o seguinte: o facto de lhe (ministro) ter sido atribuído o último lugar revela que ele não está no dito “campo” e, mais, poderá indiciar que o homem de facto é de centro-esquerda. Argumentar, caro Nuno, para quê?? Isto já deve bastar.

    Carlos evite o ” Está percebido”, por favor. Soa a estaline. Mas, depois de tantas marchas proletecas e uniformes militares sovietes aqui no 5, já nada me surpreende, apre.

  18. Carlos Vidal diz:

    Uma marcha proleteca não é forçosamente estalinista. Os uniformes soviéticos são do pintor expoente do realismo socialista Deineka. Prometo um post a explicar como se chegou de Lissitzky ou Malevich a Deineka. Por acaso sei como lá se chegou e a coisa se desenvolveu – trata-se de algo que uma análise formal ensina (não é uma questão legislativa). O homem das finanças, meu deus ezequiel, tenho de o considerar, em termos de espectro político, um nada. Não é de centro, não é de esquerda, não é de direita. É um mero gestor. Não consigo dizer mais nada.

  19. Tiago Mota Saraiva diz:

    Carlos, não sei se este será ou não o pior e mais repugnante governo do pós-25 de Abril.
    Parece-me, aliás, que ainda não temos os dados todos para o saber. Repara, por exemplo, que só agora começa a vir a lume casos como o BPN ou as negociatas Lusoponte/Ferreira do Amaral claro património de 10 anos de cavaquismo.
    Julgo que, por prudência, devemos deixar essa análise para as gerações vindouras.

  20. Carlos Vidal diz:

    Isso é verdade, Tiago. Eu sei que é verdade, mas eu estou a falar da coisa apenas vista de aqui e agora, o que não deve ser o único ponto de observação, claro.

  21. Tiago Mota Saraiva diz:

    Embora lhe dê o valor que merece e não contribua em nada para o juízo que faço de Teixeira dos Santos, a constatação do Financial Times, é apenas um sinal de derrota do Ministro dentro do seu universo.
    Utilizando uma lógica cara ao governo, imaginem se esta avaliação fosse de progressão na carreira ou para integração na lista dos excedentários. Teixeira dos Santos já era!

  22. Ricardo Santos Pinto diz:

    Avaliação de desempenho para Teixeira dos Santos, já!
    Em contrapartida, como diz hoje o Manuel António Pina, se formos avaliar os Governadores dos Bancos Centrais com base nos vencimentos e nas mordomias auto-concedidas, temos o primeiro lugar garantido. Yuppi, oba, oba!

  23. ezequiel diz:

    bolas, o Teixeira, de liberal a “nada” em pouco mais do que um fôlego.

  24. Carlos Vidal diz:

    É verdade ezequiel, a leitura de textos de velhos mestres das bandas da FBAUL, onde gosto de trabalhar, transtorna-me o escasso cérebro de confusão e nostalgia.
    (Ver post acima, por exemplo.)

  25. ezequiel diz:

    Tiago,

    O Sr Ministro afirmou que acredita na tese dos universos paralelos. O Financial Times afirma que o dito ministro não pertence ao seu campo. Mas vocês dizem que não. É um enigma envolto num mistério. LOL 🙂

    Carlos,

    é muito fácil resolver o seu problema: http://www.logicmatters.net/

    Apesar de não ser um defensor da primazia da lógica em qualquer determinação ontológica acredito que, por vezes, é uma boa terapia para combater a confusão. Especialmente indicado para as confusões de fácil resolução. LOL 🙂

    cumps,
    ezequiel

  26. Carlos Vidal diz:

    Obrigado ezequiel.
    Sempre em contacto.
    CV

    (PS: Já agora, Britney Spears ou Simon Critchley ?)

  27. Carlos Vidal diz:

    O site indicado resolve-me o problema da confusão.
    E a nostalgia ?
    CV

  28. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Carlos,
    É genial a capa do Simon Critchley sobre os filósofos mortos.

    Ezequiel,
    Manda a Playboy sff para ler as entrevistas .

  29. Carlos Vidal diz:

    É por causa da morte que o homem despreza a Britney Spears.
    É um necrófilo, vem dizendo que temos de tomar consciência da mortalidade e da finitude, senão ficamos Britneys. Como é que se sai desta ? O Badiou garantiu-me que o infinito era possível, o Bataille diz que sim, pelo erotismo. Eu gosto da Spears.
    Estou confuso.
    Qué das Playboys ?

Os comentários estão fechados.