Obama e a teoria do caos

Quem diria que a vitória de Obama nas eleições americanas teria como enorme consequência a primeira vitória do Marselha na Liga dos Campeões, segundo a crónica matinal de Jean-Pierre Gauffre na France Info a vitória de Obama funcionou como o bater de asas da borboleta de Lorenz e da sua teoria do caos e provocou um fenómeno digno da dimensão de um furacão… a vitória do Marselha.

Il était une mauvaise foi.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Obama e a teoria do caos

  1. Tiago Mota Saraiva diz:

    Eu acho que o Nuno diria que o remate do Derlei provocou a vitória do Obama.

  2. xatoo diz:

    é isso
    o Obama é o elemento atractor com a missão sionista de sugar toda a matéria global para o buraco negro wasp norte americano.
    mas há factores que se escapam, p/e o Maradona e a revolução endémica latino americana

  3. antonio diz:

    Agora tudo o que é grupo de interesse vai pôr-se à espreita e acusar Barack de afinal não ser, não fazer, não acontecer….
    Ou estou o surdo ou ele avisou que não era o super.homem, e que as pessoas tinham que tratar da própria vida. Verdade ?

    Ah, e para as almas penadas que têm uma loiridice por cima da testa:
    B.O. não é de esquerda, nunca foi, é americano (não deu para perceber???) e não foi eleito para responder às vossas frustrações particulares. Tenham tento, please. 🙂

  4. antonio diz:

    Ah ia-me esquecendo:
    Barack é isto, e não muito mais do que isto:

    “And to all those watching tonight from beyond our shores, from parliaments and palaces to those who are huddled around radios in the forgotten corners of our world – our stories are singular, but our destiny is shared, and a new dawn of American leadership is at hand.

    This is our moment. This is our time – to put our people back to work and open doors of opportunity for our kids; to restore prosperity and promote the cause of peace; to reclaim the American Dream and reaffirm that fundamental truth – that out of many, we are one; that while we breathe, we hope, and where we are met with cynicism, and doubt, and those who tell us that we can’t, we will respond with that timeless creed that sums up the spirit of a people: Yes We Can.”

    É claro há sempre a possibilidade de tentar mudar Marselha para o Mónaco, é já logo ali. Podem começar a empurrar…

  5. pcarvalho diz:

    “a aparição de Obama perante a AIPAC foi um espectáculo que “bateu todos os recordes de obsequiosidade e adulação” – (Uri Avnery, escritor e pacifista israelita)

Os comentários estão fechados.