Grace in defeat


Excelente o discurso de concessão de McCain. Mesmo com a inevitável referência a Palin, o seu anjo negro nesta campanha e primeiro erro fulcral do senador do Arizona.
Imaginam algum “líder” português, de Santana Lopes a José Sócrates, capaz de admitir uma derrota desta forma elevada, sem remoer pequenas ameaças de vingança e de retorno rápido?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Grace in defeat

  1. GL diz:

    “Imaginam algum “líder” português, de Santana Lopes a José Sócrates, capaz de admitir uma derrota desta forma elevada, sem remoer pequenas ameaças de vingança e de retorno rápido?”

    Para isso, primeiro Sócrates tem de ser derrotado, o que pelo menos até agora não aconteceu.

  2. Sempre achei que o senador McCain era uma melhor pessoa do que o candidato McCain e este discurso, que nem sempre agradou aos seus directos ouvintes, parece confirmar isso.

  3. /me diz:

    Muito bom, o discurso. Kudos.

  4. ezequiel diz:

    Um discurso inesquecível de um verdadeiro patriota.

  5. Model500 diz:

    É verdade. Mas também é verdade que durante a campanha tudo valeu, até arrancar olhos. Enquanto que Obama manteve sempre a compustura.
    Andar atrás nas sondagens não é razão para para ceder aos instintos mais primitivos.

  6. Só faltava era que a má figura fosse a cereja no topo da derrota.
    Ele perdeu para uma “Nova-Ordem” y reconheceu Isso.
    Só faltava que tivesse acicatado os seus adeptos … serenou-os, só podia né.
    ………….
    Os discursos dos nossos políticos n ficam muito àquem do McCain. Não temos é mesmo na UE nem nos Palop’s ou Brasil ninguém com o dom da Palavra como o Obama.

  7. GL diz:

    “Não temos é mesmo na UE nem nos Palop’s ou Brasil ninguém com o dom da Palavra como o Obama.”

    O que quer dizer é que a cultura lusitana não consegue produzir um político com o dom da palavra como Obama?

  8. GL: Infelizmente a mostra mais parecida que tivemos com isso foi o Alto-Nível do Nelson Evora na lastimável conferência de Impressa à chegada ao PT. Vimos sabedoria de pele. O rapaz não é político …

    Branco, Preto, Amarelo Bronzeado? Vê alguém? Com face de Justo? Acrescento nem no masculino nem no feminino. Se souber de alguém avise…. vale.
    PS.: Eu recomendo a leitura do António Franco Alexandre, um poeta-branco de Viseu. Mas n é figura publica … O Marcelo Rebelo de Sousa voltaria para a escola primária par aprender a ler y a somar. p. exemplo … ( Só para dar um lamiré …)

  9. GL diz:

    Ah, vc se referia a políticos negros? Hum… Eu me recordo do deputado federal Edson Santos, que agora é secretário especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.
    É brilhante. Outro exemplo é o Lula, que se não é negro, é quase. Não é um orador brilhante em termos de retórica, mas ninguém fica indiferente a um discurso de Lula… de certa forma foi um antecessor de Obama, naquilo que representa a usa elição como ruptura. O Obama é o Lula deles.
    Mas e o Chavez? Não sei se estava a julgar em termos de retórica. Não percebo bem o que é que estava a dizer com o dom da palavra. Lula e Chavez têm ambos o dom da palavra e são negros ou mestiços.

  10. Se o Lula é negro, então não é lula, é choco – o entonces, sepia en su tinta!

Os comentários estão fechados.