A economia dos espertos do costume (versão EUA)

Tirado dos Ladrões de Bicicletas, fonte Congresso dos EUA.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 respostas a A economia dos espertos do costume (versão EUA)

  1. ezequiel diz:

    Nuno, esqueceste-te de arquivar o meu nome, pá.
    cumps

  2. js diz:

    O gráfico seria interessante se referisse a fonte. Sem fonte… é um gráfico que alguém fez no excel, sabemos lá com que informação. É que há muitas pessoas sabem fazer gráficos no excel…
    J

  3. Caro Nuno,

    Qual é a entidade responsável por estes preocupantes dados?

  4. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Olá Ezequiel,
    Não foste arquivado pq tinhas dito que querias continuar e pediste ao Zé Nuno uma password e login. Mas isso não custa nada. Serás devidamente arquivado.

    Abraço

  5. RAF diz:

    O que prova que, à excepção das classes mais baixa, incapaz de arrancar, todas as outras classes vivem hoje melhor do que em 1979.

  6. CD diz:

    “O que prova que, à excepção das classes mais baixa, incapaz de arrancar, todas as outras classes vivem hoje melhor do que em 1979.” – RAF

    e a forma do gráfico, não revela nada?

  7. ezequiel diz:

    PS. não recebi nada

    mas, por favor, arquiva-me mesmo, pelease.

    abraço,
    ezequieç

  8. ce diz:

    “classes mais baixa, incapaz de arrancar,”

    arrancar o quê, um ordenado melhor ao patrão?ou serão as classes mais baixas os trabalhadores por conta própria?

    e sobre a disparidade, nenhum comentário?

  9. RAF diz:

    Caro CD

    “e a forma do gráfico, não revela nada?”

    Revela que nas classes mais altas estão as pessoas que têm mais capacidade de aumentar os seus rendimentos, o que faz sentido, se tivessem menos capacidade de aumentar os seus rendimentos, estavam nas classes inferiores… O que importa é que, em termos globais, todos vivem significativamente melhor, à excepção da camada mais pobre, que estará na mesma, como a lesma.

  10. CD diz:

    Caro RAF

    essa capacidade de aumentar os rendimentos é genética?

    ou será hereditária?

    se todos partíssemos da estaca zero, com verdadeira igualdade de oportunidades, o neoliberalismo não teria tantos e tão priveligiados adeptos…

  11. CD,

    É um determinismo Darwinista… pelo menos parece ser a opinião dos “liberais” que curiosamente apesar de estarem tão seguros da capacidade das classes de rendimentos mais elevados são os primeiros a serem contra a nivelação do terreno de jogo…

  12. Luis Moreira diz:

    O RAF diz que a existência de pobres não lhe importa.É por isso que estamos em profundo desacordo!

  13. Cam diz:

    Globalização.
    Há maior concorrencia para aquilo que fazem as classes mais pobres e geralmente menos instruidas que para aquilo que fazem as classes mais ricas. Há muitoas mais trabalhadores indiferenciados do 3º a fazer concorrencia aos trabalhadores americanos indeferenciados que engenheiros e tecnicos altamente qualificados do 3º mundo a fazer concorrencia aos engenheiros e tecnicos americanos. E quando os há são captados para emigrarem para os paises desenvolvidos.

Os comentários estão fechados.