Na segunda fase do metro do Porto

O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, queria uma linha a percorrer a avenida da Boavista. Mas o governo central não lhe fez a vontade, e avança antes com uma linha a percorrer a rua do Campo Alegre. Seguiu o parecer da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, que afirma que esta opção trará mais utentes. E contrariou a câmara. Um exemplo para os defensores da regionalização. Deve ser por isso que aqui ainda não se escreveu uma linha sobre este assunto.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

18 respostas a Na segunda fase do metro do Porto

  1. Algarviu diz:

    A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto terá, porventura, sede no terreiro do Paço? Pergunto eu…

  2. Não é só em Lisboa que há boas universidades. Bem pelo contrário. Mas a verdade é que foi o governo do Terreiro do Paço que ouviu a FEUP e não o podr local.

  3. CAA diz:

    Filipe Moura,

    Não sou suspeito de ser defensor do presidente da CM Porto, embora o tenha apoiado na sua 1.ª eleição. Depois disso, Rui Rio ficou uma pessoa totalmente diferente e um político profissional como tantos outros.

    Mas neste caso há várias questões a consderar. A menor das quais não será a do acordo que existia com o Governo e que Mário Lino (Who else?) rompeu alegremente…

    Como alguém que conhece o Porto melhor do que as minhas mãos, julgo que o Governo PS acabou de dar uma machadada fatal às pretensões autárquicas dos candidatos socialistas no Porto, Gaia, Gondomar, Valongo…

  4. Luís Lavoura diz:

    A Faculdade de Engenharia do Porto sempre foi das melhores escolas de engenharia do país, se não de facto a melhor.

    A mim, do mal que conheço o Porto, parece-me perfeitamente evidente que é muitíssimo mais racional pôr o metro no Campo Alegre, que é uma via muito mais congestionada de tráfego e com muito mais gente.

    É claro que para o Rui Rio é adepto do Boavista, e deve ter uma ideia difeente.

  5. RVB diz:

    ERRADO!!!!

    A FEUP, que é a melhor escola de Engenharia do País, defende a solução AV. da Boavista. Uma consultora privada, do Porto, defende a solução Campo Alegre.

    São duas escolhas, cada uma com as suas potêncialidades, como alias se prova pelo facto do Ministro Mário Lino ter dito que numa outra fase se fará a linha da Boavista.

    Mas isto não tem nada a ver com regionalização. O que tem a ver com regionalização é o facto de o contracto-programa assinado pelo Estado com a Junta Metropolitana do Porto prever um conjunto de obras (com datas marcadas bem precisas) e que não estão a ser cumpridas.

    Eu sei…o Porto tem a casa da música (100M euro) e isso significa que se pode calar por 10 anos. Lisboa tem o tunel do metro no terreiro do paço (300M euro), mas Lisboa é a capital o resto é provincia!

    Imagino que voçê seja daqueles que quando vai a Alverca diz que vai ao Norte.

  6. Os jornais afirmam que a FEUP defende a solução Campo Alegre (ao contrário do RVB), e por isso esta vai ter prioridade. A questão aqui é o que se constrói primeiro. Pelo que conheço do Porto também me parece muito mais lógica a solução Campo Alegre.

    E para o RVB a FEUP é (taxativamente) a “melhor escola de engenharia do país”, claro! O Departamento de Matemática da FEUP então é formidável. Reconhecido internacionalmente.

    O RVB quando vai a Espinho deve achar que vai ao sul.

    (Sem ironias, a FEUP é uma excelente escola de engenharia.)

  7. http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1344555

    “os estudos desenvolvidos pela Metro do Porto, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e Instituto da Mobilidade apontam para a prioridade na construção da linha do Campo Alegre, o que não significa o abandono do projecto da Boavista, que fica relegado para uma terceira fase de obra.”

  8. João Miranda diz:

    ««O Departamento de Matemática da FEUP então é formidável. »»

    Isto pareceu-me ser piada. De qualquer das formas, a FEUP não tem uma tradição em disciplinas fundamentais (historicamente a FEUP é um spin off da Faculdade de Ciência onde eram dadas as disciplinas de base) e tanto quanto eu sei não tem nenhuma estrutura ou grupo de investigação em matemática. Só recentemente foi criado um departamento de física, que até se chama Departamento de Engenharia Física.

  9. altc diz:

    O Filipe Moura não percebe nada do que se está a passar, pois não?
    Não vai haver nem Boavista nem Campo Alegre. Com FEUP ou sem FEUP (e, para já, é sem FEUP).

  10. João Miranda diz:

    A linha do Campo Alegre é melhor, mas é mais cara e provavelmente demora mais tempo a fazer. Rui Rio está muito provavelmente mais preocupado com o tempo que a linha do Campo Alegre poderá demorar a fazer.

  11. João, achei que era claro que era uma ironia. Sei bem que a situação na FEUP é como descreves.

  12. Luis Moreira diz:

    JM, essa é assassína ! terminar a tempo das eleições….

  13. Só quem não mora cá (Porto, av. da Boavista) é que não percebe do que se está a falar. E os engenheiros que deram o parecer favorável ao Campo Alegre não devem ser de cá, nem morar perto destas duas artérias. O metro começou mal quando optou por aproveitar os canais do comboio. Quem fizer uma viagem até à Póvoa pensar que de repente embarcou numa viagem pelos planaltos suiços, tal a verdura e ausência de urbanização. Ou seja, entre Custóias e Vila do Conde o metro serve…milheirais. A Boavista tem um grave problema de mobilidade. Mas quem vive nesta zona do Porto pertence às classe média-alta e alta. Dificilmente usará o metro de superfície. O mesmo se pode aplicar ao Campo Alegre que, quando muito serviria alguns bairros sociais e um dos pólos universitários, mas que, segundo a minha perspectiva, não justifica o empreendimento. Gaia fica a perder apenas com uma linha pela avenida da República. E Gondomar, sobretudo. Uma linha circular aproveitando a Ponte da Arrábida, ligando parte do Campo Alegre a Gaia Oeste e a linha já existente por Santo Ovídio seria rentável. De resto, o Rui Rio apenas se exalta com o impasse deixado pelo atraso na construção da linha da Boavista pois andou a empatar dinheiro nos carrinhos de brincar dele e agora vê a imagem dele a andar para trás.

  14. Pingback: cinco dias » Na segunda fase do metro do Porto II

  15. Ricardo Santos Pinto diz:

    «Estas decisões não coincidem com o memorando de entendimento, assinado entre o Governo e a Junta Metropolitana do Porto, que previa que a expansão da rede se faria de acordo com um estudo efectuado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).
    Esse estudo previa que a ligação circular entre Matosinhos e o Porto passasse pela Avenida da Boavista (uma solução, desde sempre, defendida por Rui Rio).» (LUSA)
    Com efeito, a Faculdade de Engenharia defendia a Linha da Boavista e era essa Linha que ainda há bem pouco tempo o Governo se tinha comprometido a fazer. Assim sendo, todo o seu «post» caiu por terra.
    Como alguém dizia antes, a Linha da Boavista seria muito mais barata e muito mais rápida do que a Linha do Campo Alegre. Esta vai ter de ser totalmente enterrada e vai demorar anos a estar pronta e vai ser caríssima. O corredor do Metro, na Avenida da Boavista, já está pronto. A instalação dos carris podia começar amanhã. Para além disso, segundo o estudo da Faculdade de Engenharia, a Linha da Boavista teria mais passageiros por hora do que a Linha do Campo Alegre.
    A FEUP propunha ainda a Linha Circular ou a Linha até Vila d’Este, entre outras. Foi assim que o Governo do Terreiro do Paço ouviu a FEUP. E a regionalização, tem a ver com quê?
    Tudo isto só acontece porque, em 2009, há eleições autárquicas. Se reparar, segundo as decisões do Governo, só sai beneficiado Matosinhos (PS) e Gondomar (Major Valentim, subitamente tão amigo de Sócrates).
    Em 2005, também por causa das eleições, o Governo quis travar o Tunel de Ceuta por causa do Museu Soares dos Reis. Resposta: Rio ganhou com maioria absoluta. Desta vez, usaram o Metro.

  16. Algarviu diz:

    1. Poder autárquico e poder regional são duas coisas diferentes. Ora o autor do post para se postar contra a regionalização (é-me permitido tirar esta conclusão?) baseia a sua argumentação nos “malefícios” de uma câmara municipal.

    2. É claro que no Porto tudo é melhor… Digo eu. Ele é o vinho do Porto, que não é do Porto e até já foi feito com vinho do Algarve; ele é a FEUP que é a melhor escola de engenharia do país, se não existisse o IST. Ele é o Campo Alegre que seria o Estádio do Dragão, se não fosse o Arsenal.
    Impressões de quem para além de Grândola já é tudo Norte.

    Ps. Nuno Resende: Planaltos suícos?! Talvez montanhas, não?

  17. RVB diz:

    Eu gosto da minha cidade/região e das suas instituições, que me orgulham e que mundialmente publicitam, positivamente, a minha cidade/região.
    Percebo no entanto o teu rancor, Farense, Portimonense e Olhanense são inexpressivos, a selva de betão leva a que o turismo, de fraquisima qualidade salvo raras excepções, seja da classe baixa britânica e agora dos jovens espanhois, e só aparecem nos jornais mundiais porque uma criança foi raptada/assassinada (?)…O teu nickname não deveria ser ALLgarviu?

Os comentários estão fechados.